Campo

Foto: Divulgação

Ao participar, nesta terça-feira (3), da posse da nova diretoria do Fórum Nacional dos Executores de Sanidade Agropecuária (Fonesa), a ministra da Agricultura, Kátia Abreu (PMDB), disse que defesa agropecuária será “prioridade máxima” da pasta nesta gestão.

A ministra apresentou os principais pontos do Planejamento Nacional de Defesa Agropecuária, projeto que está sendo elaborado pelo MAPA em parceria com estados e entidades que atuam na área. “A prioridade máxima do ministério é a defesa agropecuária”, disse a ministra aos integrantes do Fonesa, que passará a ser presidido pelo diretor da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná, Inácio Afonso Kroetz.

Kátia Abreu espera que o Plano Safra deste ano reserve mais recursos federais para a área, demanda que foi levada ao ministro Joaquim Levy (Fazenda) durante reunião na semana passada. “Eu disse ao ministro Joaquim Levy que, se o produtor ficar sem dinheiro para defesa agropecuária, as exportações vão cair. Nós estamos cuidando das finanças do país”, completou

O programa, que também tentará diminuir entraves burocráticos, deverá ser lançado nacionalmente durante cerimônia no Palácio do Planalto, com presença de organismos internacionais. “Vamos mostrar que podemos dar um salto para aprimorar e reorganizar todos os pontos da defesa agropecuária”, afirmou a ministra. “Temos que diminuir a carga e a pressão da burocracia em cima dos produtores, mas dar duro na fiscalização quando houver algo de errado”, completou.

Os recursos para defesa agropecuária serão distribuídos aos estados de acordo com regras “técnicas e rigorosas”, afirmou Kátia Abreu. Alguns dos critérios serão localização em região de fronteira, participação em programas de erradicação de doenças e pragas, alimentação em dia da base de dados da Plataforma de Gestão Agropecuária (PGA) e fundos emergenciais para doenças.

Por: Redação

Tags: Inácio Afonso Kroetz, Kátia Abreu, campo