Polí­tica

Foto: Divulgação

Após várias críticas e provocações por parte de alguns deputados da oposição o líder do governo, Paulo Mourão (PT) foi à tribuna nesta terça-feira, 2, defender a atual gestão e falar da reivindicação do Sindicato da Polícia Civil. Dezessete sindicatos entenderam gravidade na ordem econômica e financeira, os policiais civis entenderam que não. Nós precisamos discutir! É preciso que policiais civis compreendam e sejam honestos, que o governo jamais deixou de dialogar com eles", disse.

Mourão chegou a fazer um desafio à oposição: “Apontem para mim onde teremos capacidade financeira de pagar isso?”, disse ao chamar os aumentos de mentirosos e fantasiosos. “São mais de 130 milhões ao todo, de onde virá esse dinheiro? E como é que ficam os hospitais?”, disse. Segundo ele, a única saída é alongar o pagamento dos policiais para quando houver dinheiro para pagar. “Existe viés político nesse movimento!”, acusou.

Segundo o deputado, são um milhão de pessoas precisando do Estado "e não é justo estarmos parados em função de uma greve que está judicializada”, disse. O líder do governo anunciou ainda que a bancada do Palácio Araguaia votará contra o decreto legislativo, de autoria da mesa diretora da Assembleia legislativa, que susta os efeitos dos decretos de autoria do governador Marcelo Miranda. O aliado do governo, José Bonifácio, no entanto, já disse que se o decreto especificar apenas as leis que não estavam no período vedado de 180 dias antes do término do governo anterior ele votará a favor do decreto.

O presidente da Assembleia Legislativa, Osíres Damaso (DEM) sugeriu a criação de uma frente mista de deputados para acompanhar as negociações do governo com a Polícia Civil. “Para chegar ao entendimento e dar uma resposta para que a polícia possa se sentir satisfeita”, disse.

Orçamento

O relator da Lei Orçamentária Anual (LOA) deste ano, Amélio Cayres (SD), informou que o prazo para apresentação de emendas aditivas ao orçamento por parte dos parlamentares vai até o final desta semana. A sessão desta terça-feira chegou a ser suspensa para que os deputados discutissem a aprovação do orçamento.

Alterações em alguns valores estabelecidos na Lei Orçamentária estão sendo discutidos principalmente com relação aos repasses estabelecidos para alguns poderes. O presidente Damaso visitou o Tribunal de Contas do Estado na semana passada e chegou a dizer numa rede social que o órgão pretende tentar um acordo para aumentar os recursos previstos para este ano.

Durante a sessão desta terça-feira o debate foi acalorado entre os deputados nas discussões e os parlamentares trocaram farpas e discutiram as tentativas de conotação política com relação aos atos.