Campo

Foto: Vivianni Asevedo

Com a perspectiva de aumento de 21,83 mil toneladas na safra 2014/2015, o Tocantins é o 3º maior produtor de arroz irrigado no Brasil e visando potencializar ainda mais a produção de arroz irrigado em áreas de várzeas, a Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) em parceira com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), através do Programa de Fortalecimento da Cultura de Arroz, realiza mais uma etapa da colheita de variedades e linhagens de arroz, no Centro de Pesquisa Agro Ambiental da Várzea – Unitins, no município de Formoso do Araguaia, na manhã desta quarta-feira (04).

A ação faz parte da pesquisa que busca desenvolver uma nova variedade de arroz resistente a doenças e adaptada ao clima e ao solo do Estado. “Nossa pesquisa engloba o aumento de produtividade, o manejo de nutrição e adubação de plantas, o combate às doenças e pragas e também a redução do impacto ambiental das lavouras”, explica o professor da Unitins e coordenador da pesquisa, Expedido Cardoso.

Segundo o coordenador o estudo de impacto ambiental da cultura de várzea em áreas tropicais é o primeiro a ser desenvolvido no Brasil. Conforme a pesquisa, a semeadura feita em lâminas de água é rica em matéria orgânica e quando adubada com fonte de nitrogênio é acelerado o metabolismo das bactérias e com isso são emitidos gases potencialmente mais poluidores do que o gás carbônico. “Nosso trabalho é quantificar os gazes emitidos e indicar a melhor maneira de reduzir esse impacto no meio ambiente. Pois com a crescente expansão da fronteira agrícola no estado, é importante nos preocuparmos também com as consequências ambientais”, pontua.

Mais

A primeira colheita da pesquisa foi realizada no segundo semestre de 2014, onde foram selecionadas 500 linhagens na primeira avaliação, as quais neste ano foram novamente plantadas. “Vamos avaliar novamente o desenvolvimento dessas linhagens no campo, para garantirmos um grão de qualidade para o produtor”.

Conforme o pesquisador, para criar uma nova variedade de arroz é necessário cerca 10 anos, porém o que a Unitins está se propondo é reduzir esse tempo para cinco anos. “Nossa meta é reduzir o tempo da pesquisa, acredito que muito em breve teremos em nossos campos novos tipos de arroz  adaptados a nossa região climática”, ressalta.

Dados

Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a área total plantada com arroz no Tocantins é de 117 mil hectares, sendo 83 mil hectares utilizando o sistema de plantio irrigado. No ranking de produção do plantio irrigado o Tocantins fica atrás somente do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Além do consumo interno, o Estado também exporta para vizinhos na região Norte, Centro Oeste e Nordeste.

Por: Redação

Tags: Expedido Cardoso, Unitins