Educação

Foto: Elias Oliveira

Um dos seis eixos de atuação da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), a gestão democrática das escolas estaduais começou a ser definida nesta quarta-feira, 4. Em reunião realizada na sede da Pasta, as normativas para a escolha dos diretores escolares da rede estadual de ensino começaram a ser traçadas por membros da Seduc, do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Tocantins (Sintet) e do Conselho Estadual da Educação (CEE). 

Durante este primeiro encontro de trabalho do grupo, foram debatidos itens como critérios, inscrições, formação de comissões e competência técnica dos possíveis postulantes ao cargo, que deverão constar em edital.

Membro da diretoria do Sintet, o professor Carlos de Lima Furtado destacou a importância do processo democrático para a escolha de diretores escolares. O sindicalista ressaltou que a abertura da Seduc para a discussão do tema foi um avanço na relação interinstitucional. “Ressaltamos o diálogo. A Seduc está aberta para a discussão sobre o assunto e isso é um avanço. Precisamos elaborar algo que dê certo, que seja efetivo”, disse.

A diretora de Gestão Escolar da Seduc, Valdete Ferreira Pagani, coordenou os trabalhos e explicou que a reunião foi muito produtiva por estabelecer um diálogo aberto e franco entre a gestão estadual, o Conselho de Educação e o Sindicato. “Nesta discussão dos principais critérios que nortearão o processo seletivo foi levada em conta a experiência dos professores em docência e em gestão”, completou.

Gestão democrática

A gestão democrática da educação tocantinense é uma determinação do Governo do Estado e está inserida nos seis eixos de atuação da Seduc a partir de 2015. De acordo com cronograma da Seduc , a estimativa é que em setembro deste ano seja realizada a escolha dos novos diretores das escolas. Em novembro e dezembro deve ocorrer a formação dos escolhidos em gestão, para início das atividades nas escolas em 2016.