Polí­cia

Foto: Divulgação

A greve dos policiais civis continuam após o Sindicato dos Policiais Civis ser citado pela justiça nesta segunda-feira, 9, da decisão liminar que diz que a greve é ilegal. A categoria quer negociação com o governo para o pagamento do realinhamento salarial, concedido ano passado pelo governo anterior. O presidente do Sindicato, Moisemar Marinho afirmou que o governo está de portas fechadas para a negociação.

Em entrevista ao Conexão Tocantins o presidente do Sindicato adiantou nesta segunda-feira, que após ser citado a categoria iria parar 100% e inclusive fechar os presídios e delegacias. Ele afirmou ainda que ou o governo sentava para negociar ou iria virar uma tragédia de nível nacional.

Após as declarações o governo encaminhou uma nota onde repudiou as declarações de Marinho. Com a repercussão o presidente lançou dúvida sobre a matéria do Conexão Tocantins e chegou a dizer que não disse o que foi veiculado. O Conexão Tocantins esclarece a todos os leitores que todas as afirmações e declarações do presidente foram veiculadas integralmente conforme foram ditas por ele. O compromisso com a informação e apuração dos fatos é um dos pilares do Conexão Tocantins.

O impasse entre grevistas e governo continua e uma audiência pública deve acontecer na Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 10, para discutir o benefício para os policiais civis.

A greve caminha para a segunda semana e os presídios são os mais afetados.

Por: Redação

Tags: Moisemar Marinho, Polícia, Sinpol