Cultura

Foto: Divulgação

Esta sexta-feira, dia 20, é o último dia da exposição Entre Cores, do artista Aislannder Kenissom. As obras estão disponíveis para visitação na Galeria Sesc de Artes, localizada no Centro de Atividades do Sesc, na quadra 502 Norte. O horário de funcionamento é das 8h às 21h. Os quadros estarão à venda durante a exposição e metade do valor arrecadado será doado para instituições sociais, preferencialmente casas de idosos.

Expondo pela primeira vez na Galeria Sesc de Artes, Aislannder Kenissom apresenta uma proposta inusitada: as obras mesclam surrealismo e pop art. Natural de Goiânia (GO), o artista visual atua em áreas ligadas às tecnologias da informação e design, e tem nas artes plásticas um passatempo produtivo. De acordo com o curador da Galeria de Artes do Sesc, Vone Petson, percebe-se, “uma geometria que permeia a maioria de seus trabalhos e que conectam um trabalho ao outro, quase que de forma matemática, gerando sistemas”.

Segundo o artista, a produção das obras desta exposição começou depois de um acidente sofrido em fevereiro de 2014. “Na época, fui submetido a uma cirurgia no joelho e, com o repouso para reabilitação, aproveitei para testar novas modalidades de artes, artesanato e música”, conta Aislannder.

“Entre Cores” é formada por quadros que, em sua maioria, apresentam o verde e o azul turquesa. Segundo Aislannder, essas cores possuem um grande impacto de relaxamento. “O azul turquesa irradia paz, calma e tranquilidade. O verde vem da pura conexão do sentimento de conforto e relaxamento, de calma e paz interior. As outras cores compõem o conjunto. A intenção é transmitir de todos os ângulos os sentimentos que elas produzem”, afirma.

Durante a produção, o artista soube do edital da Galeria Sesc de Artes e se inscreveu. “Algumas telas que serão expostas fazem menção a situações que vivenciei em 2014, como perdas e momentos de reflexão sobre a vida e seus porquês”, explica. E essa produção inicia com investigação. “Costumo pesquisar bastante antes de começar cada obra. Tenho vários artistas como referência. Um grupo, especificamente, tem influenciado muito o estilo das minhas obras: o Bicicleta Sem Freio, de Goiânia (GO)”, complementa o artista. (Ascom Sesc)