Estado

Foto: Divulgação

A entrega das armas dos policiais civis e agentes penitenciários grevistas  estava prevista para acontecer na sede do Grupo Especial de Operações Táticas (Gote), durante toda a segunda-feira, 16. No entanto, como o comando de greve havia convocado toda a categoria para fazer a entrega na sede da SSP, o secretário da pasta, César Roberto Simoni de Freitas achou por bem autorizar o recebimento das armas na sede da SSP, a fim de evitar confrontos com os insurgentes. Assim, o comandante do Gote, Rildo Barreira, estará de plantão na sede da SSP até o final do prazo estabelecido na Portaria Conjunta 001, de 13 de março de 2015.

No início da manhã desta segunda-feira enquanto os grevistas aguardavam a chegada do comandante do Gote para fazer a entrega das armas, houve um disparo acidental que veio a atingir com estilhaços dois funcionários do quadro administrativo, que passavam pelo local.

Os dois sofreram apenas escoriações e foram encaminhados para atendimento médico. A perícia também foi acionada para esclarecer as circunstâncias do ocorrido.

A Diretoria de Polícia Científica informou que os peritos que compareceram à sede da SSP para realizar a perícia no local foram recebidos com empurrões e agressões verbais por parte do comando de greve, que tentou impedir a realização dos trabalhos. Em virtude destas agressões, o Ministério Público foi acionado para colher os depoimentos dos peritos e tomar as providências cabíveis.

Conforme a pastas  tendo em vista a insistência dos insurgentes em entregar as armas em local impróprio – um prédio administrativo e que não havia sido designado para a deposição das armas, justamente por este motivo – e para evitar que novos incidentes acontecessem, o secretário de Segurança Pública baixou a Portaria de nº 246, dispensando todos os funcionários do quadro técnico administrativo de suas funções durante todo o dia de hoje.

Por: Redação

Tags: Segurança Pública