Campo

Foto: Divulgação

Para garantir o controle populacional de morcegos hematófagos, maior transmissor da raiva no meio rural, prevenir doenças e manter o ciclo de sobrevivência entre as espécies, equipes da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) realizarão ações de capturas destes morcegos, a partir de segunda-feira, 23, na região de Pedro Afonso e Gurupi. A atividade visa ainda o monitoramento de abrigos, atendimentos às solicitações de produtores rurais e acompanhamento a região de foco. Em 2014 foram registrados 19 focos de raiva, que resultou na morte de 48 animais herbívoros (bovinos, caprinos, ovinos e equinos).

No ano passado 313 propriedades rurais foram atendidas e 671 morcegos desta espécie, que se alimentam exclusivamente de sangue, foram capturados. “Após serem apanhados os morcegos hematófagos recebem uma pasta vampiricida, e como tem o hábito de se lamberem, outros da mesma espécie serão eliminados”, explica o inspetor agropecuário da Adapec, José Emerson, acrescentando, que neste mês de março, as ações já passaram pelos municípios de Novo Acordo e Rio Sono.

A raiva é uma doença incurável tanto em animais quanto em humanos. A única forma de prevenção nos animais é por meio de vacinação, que não é obrigatória, mas é uma medida de combate estratégico. No ano passado foram vacinados 2,5 milhões de herbívoros contra a doença. “Precisamos de mais conscientização dos produtores rurais quanto à importância de vacinarem seus rebanhos e de informarem a Adapec sobre a existência de refúgios ou sugadura de morcegos em animais”, ressalta o inspetor.

De acordo com o presidente da Adapec, Humberto Camelo, para este ano, o Governo do Estado, por meio da agência, determinou que as equipes de captura fizessem um trabalho constante de monitoramento em todos os abrigos cadastrados e nas regiões onde há incidência de focos da enfermidade. “Intensificamos as ações para mantermos o controle populacional de morcegos hematófagos e evitarmos a disseminação da doença”, disse.

Dados

Em 2013 foram registrados 12 focos de raiva que resultaram na morte de 44 animais. Porém, apenas 92 propriedades rurais foram atendidas. “A ação de vigilância em 2014 foi maior, o que explica o aumento de casos de um ano para o outro, mas tudo dentro da normalidade, conforme prevê as normas do Ministério da Agricultura (Mapa)”, destaca José Emerson. 

Preparação das equipes

Os morcegos só podem ser capturados por profissionais habilitados. As equipes compostas por fiscais e inspetores agropecuários são treinadas e preparadas para entrar em ação com o uso dos Equipamentos de Proteção Individual-EPI.  Além de serem vacinados contra a raiva, anualmente passam por titulação de anticorpos para verificar a proteção individual contra o vírus da raiva. (Ascom Adapec)

Por: Redação

Tags: Adapec, Humberto Camêlo, José Emerson, campo