Estado

Foto: Divulgação

“Um governo feito para todos e realmente mais perto de vocês”, essa foi a mensagem da vice-governadora, Cláudia Lelis, durante a reunião com mulheres da etnia Xerente, da aldeia Salto, em Tocantínia, nesta sexta-feira, 20.

O Viva a Mulher Indígena, promovido pela Secretaria de Defesa e Proteção Social, teve um dia todo voltado para as mulheres da aldeia Salto e contou com roda de conversa e oficinas de pintura. Entre os parcerias do evento estão: Defensoria Pública, Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude, Secretaria da Educação, INSS e outros.

A secretária de Defesa e Proteção Social, Gleidy Braga, ressaltou o papel fundamental dos indígenas na formação do povo brasileiro e lembrou que é necessário o fortalecimento das políticas de apoio, “neste Governo vamos trabalhar as políticas públicas voltadas para as minorias”, destacou a secretária.

Para a liderança Xerente, Iraci Krukwanã, a participação da vice-governadora na reunião é motivo de orgulho para todo o povo Xerente. “Hoje, estamos realizados e muito felizes, pois, uma pessoa como a vice-governadora vir nos visitar significa muito, pois estávamos esquecidos, nunca recebemos a visita de um vice-governador”, desabafou a indígena falando em nome das mulheres presentes.

Para o cacique Xerente, Valci Sinã, o diálogo com a comunidade Xerente é essencial para a realização dos projetos para a aldeia. “Estamos contentes com a vinda dessa equipe do Governo e desejamos que através da vice-governadora possamos conseguir melhorias para todo nosso povo”, lembrou o cacique que solicita melhorias na educação e saúde da comunidade.

A vice-governadora, durante a roda de conversa, reforçou a importância da mulher indígena, que representa a mulher tocantinense. “O Governo do Estado está aberto para ouvir às demandas do povo Xerente e quero garantir que vamos cuidar para que ações nas áreas de saúde e educação cheguem até vocês”, disse. O governador Marcelo Miranda deseja fazer um governo voltado para as minorias, para os indígenas e os quilombolas, para as mulheres e as crianças, para todos que ficaram esquecidos nos últimos quatro anos.

No final da roda de conversa, as mulheres pintaram a vice-governadora com grafismos indígenas típicos da etnia Xerente, que significam fogo e servem de proteção. Também foi entregue a Cláudia Lelis um ofício onde a comunidade solicita ajuda para adquirir máquina de costura, construção de um salão de beleza, compra de uma máquina de fazer salgados e enxovais para recém-nascidos. As demandas, segundo a vice-governadora, serão encaminhadas para a Secretaria do Trabalho e Ação Social.

Aldeia Salto


Os Xerentes são um grupo indígena localizado à margem direita do Rio Tocantins, próximo à cidade de Tocantínia. Sua população, atualmente, é de quase 1.800 pessoas, distribuídas em 33 aldeias que integram as reservas indígenas Xerente e Funil, com 183.542 hectares de área demarcada.

A língua akuwen, pertencente ao tronco linguístico macro-jê é a falada na aldeia. A aldeia Salto possui cerca de 90 famílias com uma população de mais de 400 moradores entre adultos e crianças.

Por: Redação

Tags: Aldeia Salto, Claudia Lélis