Bastidores

Foto: Divulgação

Eleito com o apoio de apenas três partidos (PSD, PT e PV) que fizeram a coligação partidária do pleito de 2014 o governador Marcelo Miranda (PMDB) chega ao terceiro mês de sua gestão com o apoio de mais sete partidos.  A Assembleia Legislativa do Tocantins tem representantes dos seguintes partidos: PT, SD, PSL, PTB, PPS, PMDB, Pros, PR, PRTB, Democratas, PSDB, PSB, PSD e PP.

Já na eleição da mesa diretora da Assembleia Legislativa, o primeiro movimento político da Casa de Leis ainda em fevereiro, o PP que tem a deputada Valderez Castelo Branco, o Pros do deputado Eli Borges e ainda o PPS do deputado Eduardo do Dertins já se juntaram à base do governo.

O candidato do Palácio, Eli Borges,  não venceu as eleições porém a base continua a aumentar e já conta com a adesão do PSB de Ricardo Ayres, do Junior Evangelista do PRTB, Cleiton Cardoso do PSL e até do tucano Olintho Neto bem como dos deputados do Solidariedade Vilmar do Detran e Jorge Frederico.

Dois partidos estão divididos com relação ao governo: o PR e o Solidariedade (que tem  a maior bancada da Casa). Enquanto José Bonifácio do PR apoia o governo a deputada Luana Ribeiro tem sido uma das maiores oposicionistas. No Solidariedade Vilmar e Frederico sinalizaram aproximação mas Wanderlei Barbosa e Amélio Cayres mesmo tendo boa relação com os entes governistas ainda são estão na base.

No próprio PMDB a articulação política do governo conseguiu contornar o apoio de Elenil da Penha que na eleição da mesa não votou com o governo e agora está mais próximo da gestão. Ele chegou até a intermediar, junto com a deputada Valderez, um encontro do prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas com o governador na semana passada. 

O PTB e o Democratas se mantém como os dois partidos mais distantes do governo. Mauro Carlesse e Eduardo Siqueira Campos além do presidente Osíres Damaso são da oposição. Com relação ao presidente da Casa há uma boa relação institucional com o Palácio o que culminou inclusive na negociação para o aumento do percentual destinado aos poderes no orçamento deste ano.

Apoios pontuais

Alguns apoios do governo na Assembleia Legislativa não refletem ainda no apoio unânime por parte da legenda como é o caso do PR, por exemplo, que tem como presidente o senador Vicentinho Alves. Os partidos não fecharam ainda apoio ao governo como no caso do PSDB o senador Ataídes Oliveira que preside a legenda no Estado e no PP a situação do prefeito Carlos Amastha e até do gestor de Gurupi, Laurez Moreira que preside o PSB que não tiveram ainda uma aproximação política mais clara com a atual gestão.

Por: Redação

Tags: Assembleia Legislativa, Marcelo Miranda