Polí­tica

Foto: Divulgação

Os vereadores questionaram em sessão na Câmara de Palmas desta quarta-feira, 25, a atuação dos agentes de trânsito da Capital na sessão de ontem na qual centenas de famílias manifestaram contra desocupação de área da Agrotins. Segundo o vereador Milton Neris (PR), havia mais carros de polícia na Casa do que cuidando da população e disse que a situação foi constrangedora contra pessoas humildes. O debate proporcionou desconfiança no sistema de guincho e, inclusive, os vereadores salientam ilegalidade e favorecimento de terceiros.

“A ATTM (Agência de Transito Transporte e Mobilidade), os amarelinhos que são tratados com tanto respeito nessa casa, ontem resolveram pegar pessoas humildes, suas motinhas [...] Se não fosse eu e o vereador Jucelino para pagar o guincho eles não tinham dinheiro para pagar. Eu fiquei envergonhado”, afirmou Neris. Os agentes apreenderam quatro motos custando R$ 92 de multa por cada uma, segundo afirmações dos parlamentares. 

Segundo os vereadores, aproximadamente oito viaturas da Polícia Militar, incluindo uma da Rotam, e ainda dois guinchos estavam na frente da Câmara. “Se 10 motos fossem apreendidas ontem aquele guincho teria quase mil reais. Tem algo errado nesse negócio. Tem alguém favorecendo esse guincho. Tinham dois guinchos aqui ontem. Temos que urgentemente chamar o secretário (de Mobilidade e Transporte, Cristian Zini) aqui para prestar esclarecimentos”, afirmou Milton Neris.  

O vereador Jucelino (PTC) disse que as famílias foram tratadas "pior que bandido”. "Não tinha ninguém bebendo, usando droga, tinha pai e mãe de família. O estacionamento não suportou e alguém denunciou para que viesse tomar aquela motinha”, disse.

O parlamentar Lúcio Campelo (PR) defendeu o trabalho dos fiscais mas posicionou achar o valor abusivo. “Tem que cobrar mesmo mas o preço e abusivo. Estamos fazendo tempestade em copo d’água. O Cristian Zini que regulamenta, determina. O fiscal está só cumprindo o papel dele”, argumentou,

Negreiros afirmou que faltou bom senso. “Tem hora que fico me perguntando o que está acontecendo na cidade de Palmas. Utilizar o bom senso não faz mal pra ninguém. Uma situação igual a de ontem não podemos permitir”, frisou e ainda quis acusar: “Só a viajem que o guincho fez aqui foi quatrocentos reais, será que não tem alguém mamando por trás ? Aconselho a prefeitura e o secretário a adquirir o próprio guincho para combater essa máfia. Me informaram que tem uma cabine de guincho dentro da prefeitura. Isso é grave, o guincho é particular e temos que apurar”, questionou.

João Campos (PSC) disse ter sido lamentável. “Veio um exercito para resolver o problema aqui. Palmas está se constituindo na capital da multa e isso é lamentável”.

O presidente da Casa, Rogério Freitas (PMDB) disse ter sido um absurdo e abuso de poder. “Isso aqui não foi uma blitz feita na frente de um boteco, foi numa casa de poder. Este poder foi afrontado. [...] A ação foi orquestrada”, disse.