Polí­tica

Foto: Divulgação

O líder do governo, Paulo Mourão pediu a convocação de uma audiência pública para discutir a Saúde do Estado com todos os órgãos e setores. O presidente da Assembleia legislativa, Osíres Damaso deixou o líder do governo à vontade para escolher o dia para a realização da audiência, segundo ele, pela importância do assunto.Vários órgãos serão convidados para discutir o assunto principalmente a situação caótica encontrada pela atual gestão.

“Entendemos que é preciso criar um amplo debate sobre a gravidade do serviço de saúde pública do Tocantins. É preciso dar transparência sobre a gravidade e desmantelamento do serviço de saúde do Estado”, justificou o líder. Desde as últimas semanas alguns problemas na área de saúde em especial no Hospital Geral de Palmas provocaram decisões por parte de alguns órgãos.

Os servidores da área estão pressionando o Estado sobre o pagamento das progressões e chegam a cogitar até paralisação se o benefício não for pago já a partir de abril.

O deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB) iniciou uma discussão na sessão de hoje ao afirmar que seu bloco partidário foi prejudicado por não ter nenhum membro na CPI da Odebrecht Ambiental.  “Vou pedir que não se abra comissão sem indicação de todos os blocos partidários”, disse. A alegação de Eduardo gerou reação dos demais parlamentares.  “Em nenhum momento houve a pretensão ou intenção de preterir ou excluir qualquer um dos blocos, membros dessa Casa”, justificou o presidente da CPI, Eduardo do Dertins. Conforme o parlamentar, a dificuldade da CPI que teve no pleito passado foi devido a um mandado de segurança impetrado.

O parlamentar alegou demora de Eduardo de indicar o nome do membro do bloco. “Somos uma casa de 24 deputados que representamos a sociedade e apenas a CPI tenha apenas cinco assentos para membros tem voz e assento para 24”, disse. Já Vilmar Oliveira disse que concorda com a participação de Eduardo na Comissão. “Ninguém está preterido para participar mas tem que ter disposição e interesse”, alfinetou.  Ele disse que não concorda com as alegações do deputado do PTB.

Vilmar “Só agora que você teve interesse em participar, a verdade é essa! Teve tempo, você estava na casa o presidente esperou que você indicasse e você não teve interesse ou não quis indicar”, disse.

Damaso explicou que se baseou no artigo 47 do regimento da Casa e disse que a procuradoria da Casa dará um parecer.