Estado

Foto: Divulgação Representantes de órgãos e instituições parceiras e de outros municípios traçam estratégias de combate á violência contra a mulher Representantes de órgãos e instituições parceiras e de outros municípios traçam estratégias de combate á violência contra a mulher

A violência contra a as mulheres e os instrumentos legais de combate e prevenção no âmbito dos governos federal, estadual e municipal foram os temas das discussões e exposições nessa sexta-feira, 27, último dia do Fórum das Mulheres, que está sendo realizado em Palmas. Representantes de órgãos e instituições parceiras e de outros municípios assistiram a apresentação sobre o Pacto Nacional de Combate à Violência contra as Mulheres, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, e sobre as competências das Câmaras Técnicas municipal e estadual e elegeram os componentes desta última, que tem participação de servidores da Secretaria de Defesa e Proteção Social (Sedeps).

Também foi feita a apresentação da Casa da Mulher Brasileira, cuja construção em Palmas está prevista para este ano, e elegeu-se a Comissão de Trabalho e Estudo para implantação da unidade na Capital, composta também por representantes de outros municípios. Compõem a Comissão: Alexandra Cândida Machado Sena, de Colinas; Adriano Gomes, do Tribunal de Justiça; Kácia Rita, de Colinas; Maria Vanir Ilídio, da Sedeps; Maria Eliza R. S. Lana e Margarida H. Barbosa, ambas da Secretaria de Educação (Seduc) e Vanda Sueli Machado, da Defensoria Pública. 

Centros de Referência

Outro tema abordado no Fórum foi a implantação dos Centros de Referência e Apoio à Mulher nos municípios em parceria entre os governos estadual e municipais. Presente ao evento, a titular da Sedeps, Gleidy Braga, pediu agilidade nos processos de implantação, ressaltando que políticas públicas para as mulheres são uma das prioridades do atual governo. “Temos que superar as dificuldades e implantar os centros nos municípios, e a secretaria está à disposição para fazer as articulações necessárias”, frisou a gestora.