Polí­tica

Foto: Divulgação

Durante a sessão especial de homenagem ao Dia do Jornalista, comemorado neste dia 7 de abril, ocorrida no plenário da Assembleia Legislativa, o deputado Paulo Mourão (PT) usou a tribuna para apresentar uma moção de apoio aos jornalistas para que seja restabelecida a exigência do diploma em nível superior para o exercício da profissão de jornalismo. A chamada PEC do diploma está na pauta de votação da Câmara dos Deputados e a expectativa é que seja votada neste dia 07 de abril, Dia do Jornalista. A proposta de emenda já foi aprovada em primeiro e segundo turno pelo Senado e também aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados (CCJ).

Paulo Mourão destacou que os veículos de comunicação precisam de profissionais qualificados para ter credibilidade e nesse contexto não se pode abrir mão da figura excepcional do jornalista. “Diante da necessidade da qualidade do jornalismo que apresento essa moção de apoio, a fim de que a Câmara Federal se mobilize pela obrigatoriedade do diploma que vinha existindo de 1969 a 2001, essa exigência de forma alguma compromete a liberdade de opinião, os especialistas continuarão a escrever sobre temas afins, mas a figura do jornalista garante qualidade aos veículos de comunicação”, discursou.

O deputado relembrou a historia do dia 7 de abril, instituído em 1908 por Gustavo Lacerda, marcando a fundação da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), numa homenagem ao jornalista João Batista Líbero Badaró, assassinado de forma cruel por expressar sua liberdade de fazer política. Paulo Mourão também lembrou do jornalista  Trajano Coelho Neto, dono do jornal Ecos do Tocantins, “jornalista assassinado, na cidade de Pium, por motivações políticas porque fazia críticas contundentes”, destacou. Mourão também reverenciou o jornalista Jaime Câmara pelo seu trabalho e prol do jornalismo tocantinense. Ele encerrou seu discurso destacando a importância do trabalho do jornalista para dar mais transparência às ações do Estado.