Polí­tica

Foto: Divulgação

A ameaça de morte que o deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD) teria sofrido por telefone foi comunicada por ele na sessão vespertina desta quarta-feira, dia 15. Em solidariedade a seu pronunciamento, o presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins, deputado Osires Damaso (DEM), colocou a Polícia Legislativa à disposição de Wanderlei e informou que vai enviar ofício ao Ministério Público Estadual (MPE) e à Polícia Civil para que apurem o caso.

De acordo com o parlamentar, um homem que se identificou como Neílton - mesmo nome do pai do presidente da Fundação Municipal de Esportes da Prefeitura de Palmas - tenente Cleiton Alen ligou para seu celular às 15h03 desta quarta-feira, insultando-o e disse que atiraria em sua cabeça. De posse do número que originou a ligação e com os testemunhos de duas pessoas, que a ouviram no viva-voz, Wanderlei contou ter ido a uma delegacia de polícia para registrar a ocorrência.

O deputado lembrou que fez recentemente denúncias de supostas irregularidades na Fundação Municipal de Esporte e Lazer de Palmas. A atitude causou reação na Câmara Municipal de Palmas, inclusive com ataques pessoais pela imprensa. O deputado relatou ainda que o portão da casa de seu filho foi vandalizado com pichações e pedras.

Em recado direto aos autores da ameaça, o deputado declarou que vai se calar apenas quando os recursos do município forem aplicados “de modo honesto e coerente”. Wanderlei negou que sua atitude seja uma questão pessoal contra adversários políticos e lembrou que uma das funções do Legislativo é fiscalizar o Poder Público.

O deputado recebeu manifestações de solidariedade dos demais parlamentares, a quem agradeceu e reafirmou que não vai recuar em sua atuação.