Estado

Foto: Divulgação

Os desembargadores, hoje aposentados e afastados, Willamara Leila, Carlos Sousa, Liberato Póvoa e Amado Cilton Rosa passam a ser réus na Ação Penal nº 690, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Outros 12 acusados da Operação Maet: Antônio dos Reis Calçado Junior, Dagoberto Pinheiro Andrades Filho, Francisco Deliane e Silva, Germiro Moretti, Hércules Ribeiro Martins, João Batista Marques Barcelos, João Batista Moura Macedo, Joaquim Gonzaga Neto, José Carlos Ferreira, Liamar de Fátima Guimarães Rosa, Manoel Pedro de Andrade e Rogério Leopoldo da Rocha responderão por crimes de corrupção ativa e passiva .

Com o recebimento da denúncia do Ministério Público Federal, o Superior Tribunal de Justiça dará prosseguimento ao processo com ação penal contra os nomes envolvidos.

A acusação contra o ex-procurador Geral do Estado, Haroldo Carneiro Rastoldo, foi a única rejeitada por unanimidade pela corte.

A Operação Maet foi deflagrada em 16 de dezembro de 2010 pela Polícia Federal e culminou no afastamento dos desembargadores. A apuração investiga a suposta venda de sentenças e decisões no Tribunal de Justiça.