Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB) utilizou a tribuna na sessão desta quarta-feira, 22, para relembrar datas históricas para o Brasil, para destacar os índices de violência vividos no País e afirmar a necessidade de uma profunda reforma no Brasil com a participação de toda a sociedade.

Eduardo Siqueira deu início à sua fala destacando a data atual de 22 de abril, dia do descobrimento do Brasil pelos portugueses. Mas, sem esquecer da também histórica data de 21 de abril, morte de Tiradentes, mártir da Inconfidência Mineira, movimento que também almejava a Independência do Brasil. Da mesma forma, o deputado fez questão de ressaltar que o dia 19 de abril, Dia do Índio, também não pode ser esquecido e que estará distribuindo nas escolas públicas, uma cartilha produzida em seu gabinete, destacando os nove povos indígenas existentes no Tocantins.

Eduardo Siqueira utilizou essas datas históricas para traçar um paralelo com os dias atuais e comparar a homenagem feita pelos Estados Unidos aos 56 mil mortos na Guerra do Vietnã. “No Brasil são 40 mil jovens e pais de família que morrem vítimas da violência, é quase uma guerra do Vietnã por ano e isso sem contar as vítimas de transito e de doenças", afirmou. Eduardo Siqueira destacou que esses índices afugentam turistas e fazem com que o Brasil perca divisas ao receber menos visitantes internacionais que as principais cidades dos Estados Unidos e da Europa a cada ano.

O parlamentar afirmou que continuará debatendo da tribuna da Assembleia Legislativa alguns assuntos que antes discutia no Senado e conclamou a população brasileira a discutir um projeto nacional. “Defendo aqui eleições gerais e que um novo líder eleito pelo povo convoque a sociedade para discutir um novo Projeto de Brasil, esse País precisa de profundas reformas na Educação, Saúde e na melhor ocupação de seu território”, disse. 

Eduardo Siqueira disse ainda que dois terços da população residem em apenas um terço do território brasileiro e relembrou o ex-presidente Juscelino Kubitschek que ousou transferir a Capital Federal do Rio de Janeiro para Brasília dando início a uma melhor ocupação da região Central do Brasil. Eduardo destacou ainda a atitude do ex-governador Siqueira Campos em colocar sua família na carroceria de um caminhão e rumar para um “Novo Brasil”. “Tenho o DNA do homem que mudou a geopolítica do Brasil”, ressaltou ao citar os feitos de Siqueira Campos.