Polí­tica

Foto: Clayton Cristus

Nesta sexta-feira, 24, é celebrado o Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais. Há 13 anos, o Congresso Nacional aprovou a Lei de Libras, um grande marco para o movimento surdo brasileiro. Em homenagem à data, a Assembleia Legislativa (AL) do Tocantins realizou sessão solene nesta quinta-feira, 23, com a presença de nomes importantes da comunidade surda tocantinense. O deputado estadual Elenil da Penha (PMDB) participou da solenidade e defendeu a promoção de políticas sociais voltadas para este segmento no Estado. “A Lei de Libras possibilitou grandes avanços, mas sabemos que ainda há muito a ser feito por esta comunidade. Mais que uma forma de comunicação, a língua de sinais é também uma ferramenta de integração e, por isso, acredito que deve sim ter espaço garantido nas escolas, universidades, empresas e  órgãos públicos”, afirmou o parlamentar.

Elenil propôs que a programação da TV Assembleia seja traduzida em libras, a fim de que a comunidade surda do Tocantins possa acompanhar as transmissões. “Diferente do que acontece em outros estados, a TV Assembleia tocantinense, infelizmente, ainda não conta com programação traduzida em língua de sinais, o que impede as pessoas com deficiência auditiva de acompanharem os trabalhos legislativos pela televisão. Nós, como deputados, precisamos trabalhar no sentido de democratizar o acesso ao conteúdo da emissora e uma das formas de proporcionar isso é traduzindo em libras as transmissões”, declarou o deputado.

Professor do curso de Licenciatura em Letras/Libras da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Bruno Gonçalves Carneiro destaca a importância de ter uma janela com intérprete de Libras na programação da TV Assembleia. “Com a tradução, a Casa irá promover a acessibilidade comunicativa aos surdos tocantinenses. Muitas pessoas pensam que todos os brasileiros falam a língua portuguesa. Este é um entendimento equivocado. O Brasil é um país  multilíngue. Há uma parcela considerável da população que tem acesso à informação a partir do idioma Libras. Portanto, para garantir a inclusão destas pessoas, é preciso, primeiramente, falar com elas e a língua de sinais é indispensável para que esta comunicação seja efetivada”, explicou.

Sobre a solenidade

A sessão solene em homenagem aos 13 anos da Lei de Libras foi solicitada pelo deputado estadual Clayton Cardoso (PSL). O  evento contou com a apresentação de vídeos, a realização de palestras e a entrega de placas de reconhecimento.