Meio Ambiente

Foto: Divulgação

Os meses de abril e maio habitualmente assinalam o fim do período chuvoso com a precipitação diminuindo gradativamente. No entanto, os modelos meteorológicos continuam apontando para um quadro de incertezas na climatologia.

Para ter uma noção desse quadro de incertezas, o pesquisador do Núcleo de Meteorologia e Recursos Hídricos da Unitins (Nemet/RH), professor José Luiz Cabral, explica que só nos últimos dez dias choveu mais do que o dobro do esperado para todo o mês de abril.

Sobre as fortes chuvas recentes, o pesquisador explica que se deve a um fenômeno atmosférico chamado zona de convergência de umidade que tem trazido água para a região central do país. “São frentes frias que estão avançando com mais frequência. Nesse trimestre estamos esperando a redução das chuvas”, argumenta.

“Então, passamos por um período pluviométrico cheio de incertezas. Pelo ponto de vista agrícola, foi bom. Quem plantou soja, por exemplo, conseguiu boa safra, apesar de o início ter sido penoso, pois a chuva demorou chegar. Agora já era para termos uma redução gradativa da precipitação, mas as incertezas climatológicas têm perdurado até agora”, comenta Cabral.

Por: Redação

Tags: José Luiz Cabral, Meteorologia, Unitins