Saúde

Foto: Divulgação

Na próxima segunda-feira, 18 de maio, é comemorado o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. A história da luta no Brasil se iniciou há quase 30 anos, quando funcionários, familiares e pacientes psiquiátricos, diante das “prisões manicomiais”, resolveram manifestar sua revolta em relação aos hospitais psiquiátricos que exerciam práticas desumanas de cuidado.

Acreditava-se que a pessoa com algum transtorno mental podia melhorar se ficasse isolada da sociedade, em hospitais psiquiátricos, onde a terapêutica adotada restringia-se à eletroconvulsoterapia (o famoso eletrochoque), contenções físicas e medicamentosas de forma excessiva.

No Tocantins, para celebrar o fim desse tipo de tratamento, diversas atividades serão realizadas. A Gerência da Rede de Atenção Psicossocial da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), responsável pela articulação e fortalecimento da Rede de Atenção Psicossocial no Estado, em parceria com as gestões municipais de Saúde, prepararam uma programação diversificada.

Em Palmas, serão realizadas apresentações de cordel na Secretaria Municipal de Saúde, café da manhã especial e atividades para os usuários do serviço. Na segunda-feira, 18, haverá uma caminhada na Avenida JK, saindo do Centro de Atenção Psicossocial (Caps AD) às 8h30 em direção a Praça dos Girassóis.

Em Colinas serão realizadas entre os dias 18 e 22 de maio, atividades físicas na Praça dos Trabalhadores com pacientes e familiares, apresentação de vídeos, rodas de conversa, dinâmicas e assembleias temáticas. Além dessas atividades, no decorrer da semana serão realizadas panfletagens nas Unidades Básicas de Saúde sobre os atendimentos ofertados nos Caps.

No Caps I de Paraíso do Tocantins será realizado encontro com toda a Rede de Atenção Psicossocial para discussão do tema, com a participação dos usuários do serviço. Em Miracema, haverá participação em programas de rádio local e momentos de discussão sobre o tema com servidores e usuários do Caps.

Dianópolis, Araguaína e Formoso do Araguaia

O Caps II de Dianópolis, também na segunda-feira, realizará oficinas ao ar livre e apresentações de usuários do Centro na praça central. Em Araguaína, entre os dias 18 e 22, haverá rodas de conversa e atividades recreativas no Caps. Já no dia 19, as usuárias do serviço terão Dia da Beleza, com corte de cabelo e maquiagem.

No Caps I de Formoso do Araguaia haverá caminhada com participação dos usuários, equipe e familiares. Durante o dia, serão ofertadas atividades recreativas, café da manhã e almoço especial.

Por uma sociedade sem manicômios

Atualmente, o Movimento da Luta Antimanicomial centraliza ações na ampliação e fortalecimento da rede de serviços substitutivos aos hospitais psiquiátricos, guiados por uma concepção ampla de saúde, que envolve o acesso à assistência de qualidade, educação, trabalho, moradia, lazer, arte, cultura, transporte para as pessoas que sofrem de transtornos mentais.

“O Tocantins conta com Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), leitos e Unidades de Saúde Mental em hospitais gerais, Serviços de Residências Terapêuticas, projetos de geração de renda, além de parcerias com outros órgãos, empresas, escolas, universidades e outros programas de saúde, com o intuito de reintegrar estas pessoas no mercado de trabalho, na comunidade e na família”, lembra Romana Rossi Donato, gerente da Rede de Atenção Psicossocial da Sesau.