Palmas

Foto: Divulgação

A série de reportagens Palmas 26 anos traz mais um entrevistado: o ex-prefeito Raul Filho (sem partido), único a comandar a Prefeitura de Palmas por dois mandatos o ex-prefeito revelou ao Conexão Tocantins o principal legado de suas gestões para a capital, bem como as conquistas na área da saúde e educação com a construção das escolas de tempo integral. Raul falou ainda sobre o escândalo de repercussão nacional com relação a um suposto envolvimento com Carlos Cachoeira e desabafou: “Lamento a exposição a que eu, minha família e meus auxiliares fomos expostos”, disse.

O ex-gestor, que está sem partido, foi questionado também pelo Conexão Tocantins sobre a iniciativa que teve, e que foi derrubada na Câmara de Vereadores de Palmas, de trocar o nome da Avenida Teotônio Segurado para Avenida Siqueira Campos para homenagear o ex-governador do PSDB que sempre foi um adversário político. “Em nosso terceiro mandato iremos, efetivamente, trocar as placas da Avenida Teothônio Segurado para Avenida Governador Siqueira Campos”, disse. Raul faz ainda uma avaliação da atual gestão municipal e assim definiu: “Muito barulho e pouco resultado”, disse.

Confira a íntegra da entrevista com o ex-prefeito Raul Filho.

Conexão Tocantins  – Nas suas duas gestões à frente da capital o que o senhor destacaria como legado para a população de Palmas?

Raul Filho - Organização da infraestrutura administrativa, que inexistia. E essa organização nos permitiu pela primeira vez construir obras e valorizar os servidores, com recursos próprios. Implantação de políticas públicas, como por exemplo, a concessão de microcrédito, com a implantação do Banco do Povo. Um arrojado programa habitacional, cujas primeiras unidades contaram com 30% de contrapartida, contemplando sonhos de milhares de famílias, com a aquisição da casa própria. Uma total estruturação física e humana na rede de saúde e com a construção das Unidades de  Pronto Atendimento (UPAs) e diversos postos de saúde e disponibilidade de tratamentos de serviços em todas as áreas, desde atendimentos oftalmológicos, até a realização de exames clínicos e laboratoriais de média e alta complexabilidade. A implantação de um projeto de educação que hoje é referência para o Brasil, tanto no nível infantil, quanto no fundamental, que passou pela construção da rede física e valorização dos trabalhadores do setor. Na parte da infraestrutura, a pavimentação com todo o sistema de drenagem em várias quadras e avenidas, como também a recuperação e rejuvenescimento da malha asfáltica, em milhares de metros quadrados. Implantamos a modernização da iluminação pública, em diversas ruas e avenidas, inclusive no centro da cidade. A ampliação do sistema de jardinagem e com irrigação definitiva. Também procuramos fortalecer o setor da cultura.

CT – O senhor deixou a gestão sob os holofotes do escândalo de uma possível ligação com Carlos Cachoeira e da polêmica com relação à Delta. O que o senhor avalia com relação a esse episódio? O senhor lamenta a repercussão?

Nos meus oito anos de governo a Prefeitura de Palmas nunca teve nenhum tipo de negócio com o senhor Carlos Cachoeira e o mesmo nunca prestou serviços em nossa gestão. A Empresa Delta participou de uma licitação pública, ganhou pela melhor proposta, à época uma empresa que gozava de reconhecimento nacional e no que se refere a esse episódio, fomos informados de que a empresa não mantinha nenhum tipo de relação com esse senhor. Porém, lamento a exposição a que eu, minha família e meus auxiliares fomos expostos.

CT – Raul, o senhor chegou a apresentar um projeto para nominar a Teotônio Segurado de Avenida Siqueira Campos e essa foi uma das maiores polêmicas políticas da sua gestão. Por qual motivo o senhor propôs essa homenagem ainda mais quando o ex-governador era adversário politicamente?

R.F - Reconhecer a importância das pessoas, independente de que lado estamos politicamente é uma questão de justiça. Independente de nossos antagonismo políticos reconheço todo o trabalho e a importância que o ex-governador Siqueira Campos teve para a criação do Tocantins e de Palmas. Na mesma época também propus alterar o nome da avenida Tocantins, de Taquaralto, para prefeito Fenelon Barbosa (primeiro prefeito de Palmas). Por que só uma virou polêmica? Em nosso terceiro mandato iremos, efetivamente, trocar as placas da Avenida Teothônio Segurado para Avenida Governador Siqueira Campos.

CT – Depois que o prefeito Amastha assumiu ele criticou a situação como recebeu o Paço. Como o senhor avaliou isso?

R.F - Palmas, seguramente na transição 2012/2013 era a Capital mais organizada econômico e administrativamente, sem dívidas e com dinheiro em caixa, inclusive na transição o atual prefeito externou vários elogios à formas que governamos a Capital. Ele recebeu uma administração com projetos e obras basicamente prontos para serem entregues e executados, dos quais a administração de Palmas se vale até hoje. Eu poderia ter feito como muitos já fizeram antes, sair inaugurando obras inacabadas, Mas confesso que não é meu estilo e não tenho essa vaidade. Vamos fazer o seguinte: esperar para ver como ele vai entregar a seu sucessor. Ai saberemos juntos do que ele estava falando. A bipolaridade veio depois.

CT – Atualmente como o senhor avalia a atual gestão?

R.F - Incipiente. Muito barulho e pouco resultado. Qual obra foi iniciada e executada nessa gestão? O relógio de flores? Nunca funcionou e o lugar foi um equívoco terrível para o trânsito. Qualquer leigo pode atestar isso. Aumentar o impostos? Implantar um estacionamento rotativo cujas diretrizes nunca ficaram claras para a população? Transferir a sede da Prefeitura para um prédio alugado no centro comercial, inchando ainda mais um trânsito já estrangulado na região. Nossa chegada à Prefeitura de Palmas inaugurou o fim de uma era de truculências e negação da democracia. Ao que parece esses tempos voltaram. Não quero tecer comentários, mas tenho observado. Vamos ver, não é? Maquiagem?!

CT – Na sua opinião quais os principais problemas que a população da capital ainda tem atualmente?

R.F - Infraestrutura, emprego e renda, habitação e reais oportunidades para a população.

CT  – O senhor tem vontade ou intenção de disputar a prefeitura novamente?

R.F - Sobre o futuro, sobre possíveis candidaturas, intenções de retornar ou não à Prefeitura, vamos deixar para falar sobre isto mais para frente. Até aqui sou um  cidadão comum, que ama esta cidade e que torce todos os dias para que ela retorne aos trilhos do desenvolvimento, do progresso e da justiça social.

*O Especial Palmas 26 Anos traz entrevistas com ex-prefeitos, políticos ligados à capital e lideranças comunitárias.