Polí­cia

Foto: Ascom SSP/TO

Na noite do último domingo, 17, policiais civis de Paraíso do Tocantins, comandados pelo delegado regional José Antônio da Silva, efetuaram a prisão em flagrante de Wanderson Quirino dos Santos, de 20 anos de idade, pela prática do crime de homicídio qualificado, fato ocorrido no Setor Jardim Paulista, em Paraíso, na noite do último sábado, 16. Santos, juntamente com sua companheira, Suely Pereira da Silva, de 30 anos, assassinaram a golpes de faca e pauladas, Suely Alves Pereira.

Conforme o delegado, na noite do crime, o investigador de polícia Abimael Parente da Silva, estava em sua residência, quando foi informado, via rede social, de que um homicídio havia ocorrido no Jardim Paulista. Dê imediato, o policial foi até o local, onde passou a colher informações que pudessem levar ao paradeiro do autor ou autores. Inicialmente, Silva, suspeitou de uma jovem chamada Suely, devido ao seu histórico de passagens pela polícia e também, devido a desavenças que ela tinha com a vítima e, com base nessa suspeita passou a diligenciar no sentido de encontrar a mulher.

Por volta das 23h30, o policial encontrou a suspeita em um bar próximo ao local do crime e, ao ser questionada sobre o homicídio, a mulher de início negou participação no crime, mas minutos depois acabou confessando que havia matado Suely, juntamente com seu companheiro Wanderson. Com base nisso, ela foi presa e conduzida à central de flagrantes da PC de Paraíso, onde foi autuada em flagrante por homicídio qualificado.

Em seguida, a Polícia Civil passou a realizar buscas no sentido de localizar o segundo envolvido no crime e, na noite do último domingo, os Policiais Civis, que já estavam no encalço de Wanderson desde a noite anterior, o abordaram, por volta das 21 horas, quando o mesmo chegava de moto táxi, ao Jardim Paulista. Ele foi conduzido ao Plantão da 6ª Delegacia Regional, onde confessou o homicídio de Suely, alegando que manteve um relacionamento amoroso com a mesma e ela estaria, perturbando sua atual companheira, que também se chama Suely e, que o ajudou a cometer o bárbaro crime.

Ainda de acordo com o delegado, o casal matou a vítima com 12 facadas e diversas pauladas na cabeça. Após os procedimentos cabíveis, Wanderson foi recolhido a carceragem da Casa de Prisão Provisória de Paraíso do Tocantins, onde permanecerá a disposição do Poder Judiciário e Suely deverá ser encaminhado para a unidade prisional feminina de Palmas.

Por: Redação

Tags: