Campo

Os assentados rurais que utilizaram recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar têm até o próximo dia 30 de junho para liquidarem ou renegociarem as operações contratadas com as instituições financeiras que atuam com essa linha de crédito, no caso, direcionadas aos grupos A e A/C do Pronaf. O benefício foi garantido pelo Banco Central, por meio da Resolução nº 4.298, de dezembro de 2013.

Quem estiver com débito e procurar regularizar a situação terá desconto de 80% sobre o saldo devedor atualizado, medida que substitui a todos os bônus de adimplência e de liquidação previstos nos contratos firmados pelos tomadores do crédito e já concedidos anteriormente.

“É uma oportunidade única dada pelo governo aos que não conseguiram honrar seus compromissos. Estamos aguardando esses tomadores, que ainda podem procurar orientações em nossas agências e junto a seus sindicatos de classe”, disse Cristina Lopes, gerente executiva de Microfinanças e Agricultura Familiar do Banco da Amazônia.

Desde que o Banco Central ampliou o prazo para a renegociação, em junho de 2014, o Banco da Amazônia, principal banco de fomento do Governo Federal na região, já conseguiu recuperar 20% dos R$ 57 milhões em créditos concedidos e não pagos pelos agricultores familiares assentados rurais. No Estado do Tocantins, ainda há 8.512 nessas condições e que podem ser beneficiados com as bases e condições postas pela resolução do Banco Central.

Além do desconto que permite que a dívida seja encerrada com o pagamento de 20% do valor inicialmente tomado, o assentado rural pode ainda renegociar os débitos pagando um sinal de 5% do valor devido, obter desconto de 40% nesta operação e pagar as parcelas restantes em até 10 anos, com juros de 0,5% ao ano.

Por: Redação

Tags: Banco da Amazônia, Cristina Lopes, Pronaf