Geral

Foto: Divulgação

Em cumprimento à demanda do Ministério Público Estadual (MPE) que requisitava a vistoria no estabelecimento, supostamente clandestino, a Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), foi ao local indicado e flagrou diversas irregularidades que resultou na apreensão de cerca de 360 quilos de produtos de origem animal, interdição do estabelecimento e na prisão em flagrante do responsável. A ação, que contou com o apoio da Polícia Militar, ocorreu na noite dessa segunda-feira, 1º, em Araguaína.

No local, os inspetores agropecuários da Adapec, Márcio Pedrote de Carvalho e Dawes Rodrigues Sousa Lima, encontraram produtos de origem animal, queijo, apresuntado, bacon, mussarela e salsicha, sem a comprovação da origem, sendo fracionados de forma irregular e em embalagens clonadas. “O estabelecimento operava como entreposto clandestino, os produtos não tinham rotulagem, data de fabricação, validade ou lote, o que resultou também em uma multa no valor de R$ 2.500,00”, disse Dawes Rodrigues.  

As práticas ilícitas flagradas de falsificação de produto fizeram com que os policiais encaminhassem o responsável pelo estabelecimento à delegacia de polícia civil de plantão, juntamente com os produtos apreendidos para que fossem realizados os procedimentos, conforme determinação do MPE. “Em seguida, os produtos foram descartados no aterro sanitário do Município, pois são considerados impróprios para o consumo”, disse a gerente de inspeção animal da Adapec, Joseanne Cademartoi Lins.

De acordo com presidente da Adapec, Humberto Camelo, o comércio clandestino de produtos de origem animal é um grande desafio e um risco à saúde pública. “Esses produtos podem transmitir diversas doenças à população, por isso, exige medidas sanitárias urgentes que já estão sendo tomadas”, destaca.

Combate ao comércio clandestino

A parceria entre MPE, Polícia Militar e a Adapec já interditou desde o início deste ano, um abatedouro clandestino de gado localizado no município de Santa Fé do Araguaia, um laticínio no município de Miracema, um frigorífico no município de Cristalândia e um matadouro municipal em Filadélfia. Além disso, combateu um abate clandestino de bovinos e suínos em Porto Nacional.