Estado

Foto: Divulgação

O Observatório Estadual da Criança e Adolescente (OECA) da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) constituiu o seu conselho de adolescentes, nesta última segunda-feira, 1º junho.  No primeiro encontro, ocorrido pela manhã, eles debateram a campanha virtual que está sendo preparada contra o trabalho infantil, cujo dia mundial é celebrado no próximo dia 12.

“A ideia é que eles tragam suas demandas e vivências para debate. E como o próprio nome diz, o conselho é um lugar para se dar a opinião e aconselhar. Aqui elas serão discutidas e ouvidas”, destacou a pró-reitora de Extensão da Unitins, Simone Brito.

Simone explicou aos cinco adolescentes sobre o intuito da campanha contra o trabalho infantil e tirou dúvidas sobre o que diz a lei em relação a esse tipo de violação de direitos de crianças e adolescentes. “O trabalho infantil é aquele que é degradante, penoso e explora a mão de obra”, frisou a pró-reitora.

A estudante Luma Gomes, do Centro de Ensino Médio Castro Alves (CEM), ficou entusiasmada em poder contribuir para mudar a realidade das crianças e adolescentes que trabalham. “Eu aceitei participar e estou empenhada nessas discussões”, disse.

Observatório Estadual

O OECA da Unitins nasceu vinculado ao Observatório Nacional da Criança e do Adolescente da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR). O observatório tem o objetivo de disseminar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) no meio acadêmico e na sociedade como um todo, bem como se constituir um referencial para a construção de indicadores na avaliação das políticas públicas de direitos sociais destinadas às crianças e aos adolescentes no Tocantins.