Polí­tica

Foto: Divulgação

Os ânimos foram acalorados na sessão da Assembleia Legislativa desta quarta-feira, 24, quando a deputada da oposição, Luana Ribeiro (PR) demonstrou indignação com o veto do governo à emendas de sua autoria num projeto que trata de promoções de policiais militares. “Estou indignado e com vergonha,  toda luta está sendo colocado em cheque com um veto sem proposta”, disse.

O veto do governador foi aprovado por 14 votos. Foram sete votos contra o veto do governador à emenda da deputada.

Luana criticou ainda o Comandante da Polícia Militar, Coronel Glauber.  “Não valeu de nada a palavra empenhada pelo comandante da Polícia Militar que se reuniu com policiais militares e disse: o comando está empenhado em resolver questões que nós herdamos, quando casamos com a viúva a gente cria os filhos dela. Tenho isso gravado”, disse ao afirmar que tem uma gravação da fala do comandante

Ela argumentou que suas emendas ao projeto facilitaria ascensão de algumas carreiras na PM. Ela chegou a se exaltar e dizer: “Mesmo tendo sido ameaçada e coagida não vou me calar, não tenho medo”, disse.

O líder Paulo Mourão (PT)  respondeu Luana e esclareceu que o veto trata da correção de uma lei que foi feita no governo passado. “O mesmo governo que não pagou o dezembro do servidor público o mesmo que desequilibrou o Estado, o mesmo que deixou a segurança em frangalhos, o mesmo que destruiu e desaparelhou o processo da segurança pública”, disse.

Conforme Mourão, um praça chegaria aos quadros de oficial mesmo sem concurso de oficial. “ Será que isso é justo? Isso foi um motivo para fazer uma Lei complementar fazendo essa alteração”, disse.  a deputa apresentou emenda onde o quadro de oficiais de músicos poderiam alcançar o posto de major da PM

“ Não quero discutir mérito do que a deputada propôs quero discutir impacto financeiro; um estado que não consegue pagar data-base, que não consegue pagara s progressões que está com dificuldade de manter serviços de qualidade de segurança e educação pode ampliar ainda mais benefícios? Com que dinheiro?”, disse.

Mourão disse alguns setores da sociedade estão fazendo pressão e intimidação ao Estado. “ O Estado não foi feito só para pagar servidores públicos”, disse. O parlamentar afirmou ainda que se o Estado for fazer governos populistas  estará em breve ainda este ano sem conseguir pagar a folha de pagamento dos servidores.

A deputada Luana rebateu Mourão e tentou desconstruir os argumentos do líder do governo lembrando inclusive que a emenda foi aprovada nas comissões inclusive por deputados do governo.A discussão entre os dois continuou em plenário com manifestação dos servidores públicos. "Como é que a senhora quer que um praça vire Coronel se isso cria impacto financeiro, a senhora não está aqui lidando com criança! gera muito impacto", disparou Mourão.

Votos

O líder do governo orientou a bancada a votar a favor do veto.

O deputado Elenil da Penha (PMDB) anunciou voto a favor da emenda de Luana. porém, ressaltou que não concorda com as críticas que ela fez ao governo. "Vou votar na matéria pelo acordo que foi feito e me posiciono contrário à maneira com a qual vossa excelência fala do governador", disse.