Estado

Foto: Conexão Tocantins

Ao assumir interinamente o Governo do Estado no dia 12 de junho, Claudia Lelis havia prometido que deixaria como marca da sua gestão a luta pelos direitos das mulheres e das minorias. Nos dez dias em que esteve à frente do executivo estadual, a governadora em exercício não poupou esforços para cumprir com êxito a sua missão.

“O Governo do Tocantins está comprometido em elaborar o pacto estadual em defesa da mulher no Estado e em fazer com que ele funcione adequadamente. Nestes dias à frente do Governo, busquei acelerar a implantação desse pacto e, ainda esse mês, vamos encaminhar para a Secretaria Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres da Presidência da República todas as medidas e ações que o Tocantins irá adotar no pacto de políticas públicas em defesa da mulher do campo, nas áreas da saúde, educação e cultura”, explicou.

“Durante conversa com a ministra de políticas públicas para as mulheres, Eleonora Menicucci, em Brasília, juntamente com a deputada federal Dulce Miranda, já acertamos os primeiros detalhes da visita da ministra ao Tocantins, em julho, para implantação da Casa da Mulher Brasileira”, destacou Claudia Lelis.

Ações

No período em que esteve comandando o Estado, foram realizadas diversas reuniões com secretários, empresários, representantes de movimentos sociais, indígenas e da juventude; visitas técnicas a obras de moradia popular e ações de combate à violência contra a mulher. A então governadora também recebeu no Palácio Araguaia os idosos participantes do Movimento Mobiliza, campanha realizada pela Secretaria de Estado da Defesa e Proteção Social (Sedeps), além de lideranças, deputados e representantes da sociedade civil.

Como governadora, Claudia Lelis esteve, essa semana, no lançamento oficial dos Jogos Mundiais Indígenas (JMI), em Brasília, que acontecem no Tocantins, em outubro. "Os Jogos Mundiais Indígenas, por exemplo, colocarão o Estado em destaque nacional e internacional”, frisou.

“O que as comunidades indígenas enfrentam hoje não é a luta pela preservação da terra, mas a luta pela preservação da identidade cultural. É preciso que cuidemos dos índios como cidadãos com direito à educação, ao esporte e às novas tecnologias, sem que isso represente aculturação”, destacou a governadora em exercício, que tinha como ouvinte do seu discurso a presidenta da república, Dilma Rousseff.

Ao reassumir seu cargo de vice-governadora nesta quinta-feira, 25, Claudia Lelis afirmou que dará continuidade aos diálogos iniciados durante o período em que esteve à frente do Governo e que continuará a acompanhar de perto os projetos desenvolvidos pelo Executivo, principalmente aqueles voltados para as áreas de direitos humanos e meio ambiente.

“Nestes dez dias, busquei trabalhar com uma agenda positiva, visitando obras, recebendo líderes de movimentos e explicando a todos a real situação em que estamos vivendo no Estado. Sabemos que o Tocantins, como o Brasil, passa por uma crise financeira muito grande, mas estamos olhando para o futuro e trabalhando diuturnamente para oferecer à população políticas públicas eficientes e serviços de qualidade”, buscou.

Perfil

Claudia Telles de Menezes Pires Martins Lelis tem 43 anos, sendo a primeira mulher eleita a vice-governadora do Estado.  Publicitária de formação, ela é pioneira no Tocantins e participou ativamente da construção de algumas das principais obras do Estado.

Como gestora pública, atuou como secretária de Comunicação de Palmas, onde coordenou ações de marketing e publicidade que colocaram o Tocantins como destaque na imprensa nacional por diversas vezes, o que contribuiu para fortalecer a imagem da Capital mais jovem do Brasil e atrair investidores nacionais e internacionais.