Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado Toinho Andrade (PSD) não gostou das declarações do colega de partido, Valdemar Junior que voltou a criticar o prefeito de Porto Nacional, Otoniel Andrade por causa do Distrito de Luzimangues. Na sessão desta quinta-feira, 25, Toinho disse que vai responder às acusações de Valdemar. “Não farei hoje porque ele não está presente. Ele usou a oportunidade da minha ausência para fazer denuncias porque ele mostrou um lado e quero mostrar pra ele o outro lado da verdade”, disse.O parlamentar chegou a dizer que vai mostrar a “verdadeira verdade” sobre o Distrito.

Em pronunciamento na tribuna Valdemar rebateu críticas do prefeito de Porto Nacional, Otoniel Andrade, que disse que o parlamentar estaria “desinformado” ao apontar o abandono da comunidade e ver motivações eleitorais na iniciativa.

Valdemar afirmou que não pretende disputar a Prefeitura de Porto, até porque seu título eleitoral é da Capital. Sobre obras que Otoniel disse ter empreendido, o deputado apresentou fotografias que mostram ruas sem asfalto, com mato alto, prédios mal conservados e estruturas improvisadas.

O deputado também denunciou fatos mais graves. Afirmou que lotes do município estão ocupados por invasores apoiados “por um vereador de Porto Nacional”, que não foi identificado. A subprefeitura careceria, segundo Valdemar, de material básico para funcionamento e serviria apenas como cabide de empregos para parentes do vereador, lotados na prefeitura do município.

A concessão de um trator comprado com recursos de emendas parlamentares mediante interesses políticos locais seria outra irregularidade, segundo Valdemar. O mesmo aconteceria com a escolha dos beneficiários do programa social Bolsa Família. Além disso, o distrito não contaria com médicos nos fins de semana, coleta de lixo regular, escola pública com estrutura apropriada e obras, como a Unidade Básica de Saúde, estariam com cronograma atrasado.

“Não tenho intenção de disputar com o prefeito Otoniel se não o direito de fiscalizar a aplicação dos recursos públicos. Enquanto a prefeitura de Porto Nacional não incorporar Luzimangues em suas ações, não posso me furtar do direito de cobrar”, declarou Valdemar.