Palmas

Foto: Divulgação

Relatório do Previpalmas confirma perda em aplicações do Instituto no ano de 2013. No primeiro ano de gestão do prefeito Carlos Amastha (PSB) o Instituto tinha um saldo inicial de R$ 255 milhões mas teve queda de R$ 9 mi ficando o saldo final em R$ 253 milhões.

O panorama do ano de 2014 mostra que o saldo inicial era de R$ 263 milhões com rendimento estimado de R$ 37 milhões e saldo final de R$ 331 milhões. Até maio deste ano o Previpalmas já contabiliza um saldo final de R$ 372 mil e rendimentos de R$ 23 milhões. O relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE)  com relação aos investimentos no ano de 2013 também confirmam a perda.

 O balanço financeiro do órgão, analisado pelo Conexão Tocantins, mostra ainda que 2012, último ano de gestão do ex-prefeito Raul Filho (PR), foi o ano com maior rendimento. Em 2012, o saldo inicial do Instituto era R$ 184 milhões com rendimentos de R$ 45 milhões, marca ainda não alcançada pela atual gestão.

Atualmente são 8.338 servidores efetivos em Palmas sendo 292 aposentados e 165 pensionistas.

No foco

A Prefeitura de Palmas nomeou os membros do Conselho Municipal de Previdência do Servidor Público Municipal para o biênio 2015/2016. Um dos representantes dos segurados e beneficiários do Regime Próprio de Previdência Social indicado pelo Sindicato dos Servidores municipais, o procurador Antonio Chrysippo de Aguiar também foi nomeado no conselho.

A situação financeira do Instituto de Previdência Social do Município de Palmas –  Prevpalmas norteou o debate na sessão na semana passada na Câmara Municipal de Palmas. Os vereadores da oposição Lúcio Campelo (PR) e Júnior Geo (PROS) usaram a tribuna para comentar sobre perda de ativos no exercício de 2013 do instituto que, segundo eles, seria em torno de R$ 26 milhões. Na ocasião os vereadores da base do prefeito rebateram e afirmaram que o Instituto é bem gerido pela atual gestão.