Polí­tica

Foto: Waldemir Barreto

A CPI que investiga a manipulação de julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) vai pedir a quebra do sigilo fiscal e bancário dos ex-conselheiros Jorge Victor Rodrigues e Adriana Oliveira e Ribeiro, e de Gegliane Maria Bessa. 

Convocados a depor na comissão nesta última terça-feira, 30, os três  segundo o senador Ataídes Oliveira (PSDB/TO), que preside a CPI, "estão envolvidos até o pescoço com o esquema criminoso no Carf".

Os depoentes haviam garantido habeas corpus no Supremo Tribunal Federal para ficar em silêncio na CPI. Mas Gegliane, que trabalhava na J.R. Silva Advogados e Associados, empresa de Adriana, decidiu colaborar com a comissão e, numa reunião fechada, revelou “informações valiosas”, de acordo com o senador Ataídes.

“Com o apoio do Ministério Público e da Polícia Federal, a CPI do Carf vai, com certeza, desbaratar toda a quadrilha e garantir o resgate de bilhões de reais aos cofres públicos”, concluiu o senador.