Cultura

Foto: Divulgação

Acontece nesse final de semana a 1ª Mostra de Música Instrumental Cultura Popular. O evento será realizado no Distrito de Taquaruçu, entre os dias 10 e 12 deste mês, e contará com 100 horas de espetáculos, oficinas e vivências culturais. A programação gratuita traz show dos cancioneiros Xangai e Juraíldes da Cruz, além de destaques da nova música instrumental brasileira.

Segundo os organizadores, no Mutum, foliões e cancioneiros e cantadores indígenas encontram-se com o jazz, o choro, o blues, o forró e o samba e inúmeros outros gêneros musicais. E as cachoeiras, trilhas dos vales de Taquaruçu, distrito de Palmas-TO, é o território onde essa intensa experiência cultural acontecerá.

O projeto está dentro da programação da Temporada de Férias da Capital, e é realizado pela DB Produções Musicais, pela ONG Casa da Árvore e pelo Ministério da Cultura, em parceria com o Itaú Cultural, que o selecionou por meio do programa Rumos, e apoio da Casa do Artesão de Taquaruçu, Agência Municipal de Turismo, Jubalina Produções e SEBRAE.

Sexta 10/07

Destaque -  Paulio Celé e Grupo  -  Sumidouro (Pça Joaquim Maracaípe) (22h)

O guitarrista tocantinense radicado em São Paulo há dez anos, volta ao quintal de sua terra para encerrar a primeira noite do MUTUM 2015. Neste show, Paulio Celé apresentará algumas de suas composições e arranjos ao lado de Salomão Soares(piano), Sá Reston(baixo) e Rodrigo “Digão” Braz(bateria). Todos os integrantes são pesquisadores da cultura popular e da música universal de Hermeto Pascoal.

6h – Cantoria Indígena -  Terreiro dos Povos (Casa do Artesão de Taquaruçu)

Logo no primeiro dia do Mutum, o grupo Apinajé se juntará com grupos de cantadores Kraô, Xerente, Javaé e Karajá, para compartilhar suas vivências através do canto. Um momento de alargamento das fronteiras culturais e celebração. No Terreiro dos Povos, espaço montado para o Mutum na Casa do Artesão de Taquaruçu, todos estes povos indígenas estão compartilhando suas experiências com a produção de sementes e alimentos, a confecção de artesanato e outros costumes, como rituais, cortes de cabelo e pintura corporal.

10h – Roda de Conversa “Sabedoria Indígena”- Terreiro dos Povos (Casa do Artesão de Taquaruçu)

Ainda no Terreiro dos Povos, acontece uma roda de prosa com o tema "Sabedoria Indígena", que fechará a tarde, terá a mediação da historiadora Lidia Soraya e Wooccô Kraô, e contará com a participação de anciãos, pajés e cantadores de diversas etnias. O bate papo é aberto para pessoas de todas as idades, interessadas em conhecer e aprender um pouco mais sobre a relação que esses povos têm com a música, a natureza, as pessoas e a vida. Além da roda de conversa, o dia segue uma feira onde as famílias indígenas compartilharão suas experiências com a produção de sementes e alimentos, a confecção de artesanato e outros costumes, como rituais, cortes de cabelo e pintura corporal.

18h – Encontro de Cantadores Indígenas - Sumidouro (Pça Joaquim Maracaípe)

Indígenas tocantinenses que participaram da Cantoria e da Roda de Conversa, e descem para o palco principal da mostra, o Sumidouro. Um momento inédito, dedicado à celebração da riqueza musical de séculos de histórias

Sábado 11/07

Destaque – Felix Jr e Gabriel Grossi  - Sumidouro (23h)

Gabriel Grossi é considerado um dos maiores representantes da harmônica no mundo. Já Félix Júnior é uma das maiores revelações dos violonistas de sete cordas no Brasil. O violão de Félix mescla virtuose e fineza ao executar um instrumento genuíno brasileiro, enquanto Gabriel vem desenvolvendo caminhos inusitados para inserção de instrumentos no rico universo da música brasileira. O encontro dessas grandes figuras da música acontece no Sumidouro, palco principal da Mostra.

7:30h – Cortejo Folião -Trajeto entre a Pça Joaquim Maracaípe até a Casa do Artesão de Taquaruçu

O cortejo Folião desperta o segundo dia do MUTUM 2015, os Foliões de Monte do Carmo e de Natividade reconstruirão os giros da folia, um cortejo que tradicionalmente se inicia no domingo de Páscoa, antecipando os festejo em homenagem ao Divino Espírito Santo.

O cortejo começará com concentração em frente ao palco Sumidouro e seguirá acompanhado pela equipe do Circo Social Os Kaco, até o Terreiro dos Povos, lá os foliões entoarão o Canto de Acolhida, seguido pela "Mesa de Folião", um café da manhã tradicional e antes do Canto de Despedida, os grupos farão uma grande roda de viola e catira.

14h - Encontro de Tamboeiros do Tocantins  (oficina de confecção e ritmos) -Terreiro dos Povos (Casa do Artesão de Taquaruçu)

O MUTUM reúne tamboreiros, feitores e tocadores, de várias regiões do estado. Encontro inédito que será capitaneado por dois mestres dessa arte, Márcio Belo  e Lucindo Pereira. Juntos irão compartilhar técnicas de confecção de tambores e de ritmos tocantinenses.O Encontro de Tamboreiros do Tocantins contará ainda com músicos das regiões do Jalapão e Monte do Carmo.

18h – Roda de Suça Grupo Mãe Ana e Catireiros de Natividade - Sumidouro (Pça Joaquim Maracaípe)

A Suça é uma dança de origem africana muito tradicional no Tocantins, em Natividade ela sempre foi dançada pela comunidade nos Festejos do Divino Espírito Santo e no MUTUM 2015 será dançada pelo grupo Mãe Ana, que é coordenado por Felisberta Pereira da Silva, no palco principal da mostra, Sumidouro. O grupo se encontra com seus conterrâneos, Catireiros de Natividade, que somaram ainda mais para esse espetáculo cultural acontecer.

Domingo 12/07

Destaque – Juraíldes da Cruz e Xangai - Sumidouro (23h)

No último dia de MUTUM, o Sumidouro é palco de um encontro de gigantes. Dois dos maiores cantores e compositores brasileiros se encontram para fechar a Mostra com chave de ouro, Juraldes da Cruz faz parte de uma linha de cantadores que traz no seu cantar os autênticos valores da cultura regional, aprendidos na linguagem, hábitos e costumes do povo. E o violeiro Xangai, que é considerado como o melhor intérprete de compositores eruditos como Elomar, propiciando inclusive a facilitação do entendimento das composições deste compositor.

Show de Violas de Buriti do Jalapão -Sumidouro – Pça Joaquim Maracaípe(18h)

A Viola de Buriti é um instrumento musical muito popular no cerrado brasileiro, e é no MUTUM que violeiros da região do Jalapão trazem toda cultura e tradição dessa Viola, num espetáculo musical imperdível.

Artistas de diversas comunidades quilombolas do Jalapão: da comunidade Mumbuca, Mauricio e Arnon Ribeiro, da comunidade barra do Arueira, Nilo Rodrigues, e outros músicos das comunidades de Santa Teresa e Lagoa fazem um show onde o repertório conta com músicas que homenageiam a viola de buriti, o artesanato com o capim dourado e exaltam as belezas da região e as riquezas do Cerrado.

9h – Vivências Culturais com Comunidades Quilombolas de Barra da Aroeira -Terreiro dos Povos (Casa do Artesão de Taquaruçu)

As Vivências Quilombolas de Barra do Aroeira trazem ao Terreiro dos Povos muitas atrações especiais e imperdíveis, são apresentações de Suça, Dança do Lenço e Maculelê, todos patrimônios culturais imaterial da nossa região. As mulheres da comunidade Rio da Prata que comandam essa festa, e dançam acompanhadas pelo som do tambor, do prato e do chocalho. (Secom Palmas)

Por: Redação

Tags: Agenda Cultural, Cultura Popular, Taquaruçu