Estado

Foto: Divulgação O diretor da Ciretran tem prazo de 10 dias para informar se o número de servidores é suficiente para a demanda de Araguaína e região. O diretor da Ciretran tem prazo de 10 dias para informar se o número de servidores é suficiente para a demanda de Araguaína e região.

Constantes reclamações de moradores de Araguaína e região quanto aos serviços prestados pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran) motivaram o Ministério Público Estadual (MPE) a expedir recomendação visando a normalização dos serviços de atendimento na Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Araguaína, bem como do Posto de Atendimento do Detran localizado na unidade do "É pra já".

A recomendação, assinada pelo promotor de Justiça, Alzemiro Wilson de Peres Freitas, da 6ª Promotoria de Justiça de Araguaína, aponta que os balcões de atendimento têm poucos atendentes, o que tem precarizado o serviço e gerado filas absurdas. Também seria constante a falta de materiais, como papel para a impressão de documentos, entre outros problemas.

"O sistema tem incontáveis falhas, ficando 'fora do ar' por longos períodos, sem nenhum tipo de aviso à população, o que redunda em prejuízos ao cidadão, principalmente àqueles que vêm de outros municípios", afirmou o promotor de Justiça. "São fatos que vêm se repetindo de longa data, a exemplo de muitos cidadãos que já pagaram o IPVA e até agora não receberam o documento", complementou.

Segundo a recomendação, o diretor da Ciretran de Araguaína, Osvaldo Rodrigues, tem prazo de 10 dias para informar se o número de servidores é suficiente para a demanda de Araguaína e região. Também deve ser divulgada na imprensa em geral uma lista com os atendimentos e serviços prestados pelo órgão, bem como implantados mecanismos voltados à melhoria do atendimento.