Polí­cia

Foto: Divulgação Carro apreendido em operação da Polícia Civil Carro apreendido em operação da Polícia Civil

Acusada de desvios de verbas públicas, no município de Taipas, região sudeste do Tocantins, Ieda Mudesto Rodrigues, ex-secretária municipal de administração foi presa nessa quinta-feira, 16, em sua residência, naquela cidade. Na operação, denominada pela Policia Civil de Caça Fantasmas, vários mandados de busca e apreensão foram executados em residências de Taipas do Tocantins e também nas cidades de Dianópolis e Conceição do Tocantins.

De acordo com o delegado responsável pela operação, Ibanez Aires da Silva Neto, foram seis meses de investigações, que tiveram inicio mediante solicitação do Ministério Público Estadual. “Trabalhamos seis meses, investigando todos os envolvidos e diante das provas obtidas, encaminhamos o pedido de prisão provisória de Ieda”. Durante as investigações, foi constatado que a ex-secretária Ieda Mudesto, na época responsável pela folha de pagamento da Prefeitura, desviava dinheiro público usando nomes de parentes e pessoas próximas, inclusive da própria mãe, Jozenilia Mudesto Damasceno, 52 anos e da irmã, Cintia Mudesto Rodrigues, 30 anos.

Outras pessoas foram beneficiadas sendo incluídas na Folha de pagamento dos servidores da prefeitura de Taipas, sem nunca ter trabalhado. A ex-secretária usava nomes fictícios, porém vinculados a CPFs e contas bancárias dos envolvidos, a maioria parentes e amigos próximos.

Durante as buscas, foi encontrada na casa de Raul Gomes Araújo, um dos beneficiados, grande quantidade de armas artesanais, utilizadas para caça, material de pesca predatória e munições. Na ocasião João José Araújo Filho, pai de Raul Gomes, se declarou proprietário dos objetos e autuado, em flagrante, por crimes ambientais e posse ilegal de arma de fogo e munições de uso permitido.

Foram apreendidos nas residências dos envolvidos: computadores, anotações, agendas, pouco mais de dois mil reais e um veículo cobalt 2014.

Tanto Ieda Mudesto, quanto as outras pessoas convocadas a prestarem depoimentos alegaram que só falaria diante da autoridade judicial. A ex-secretária foi encaminhada para a casa de prisão provisória de Dianópolis, onde aguardará transferência para a cadeia pública feminina de Brejinho de Nazaré, permanecendo à disposição da justiça.

Participaram da operação, juntamente com suas equipes os Delegados George Luiz Martins Dias, Afonso José Azevedo de Lyra Filho e Wanderson Chaves de Queiroz.