Educação

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (Sintet) informou nesta quinta-feira, 23 de julho, que até o momento, o Governo do Estado não apresentou nova proposta à categoria que está em greve desde o dia 05 de junho. De acordo com o Sindicato, reuniões acontecem entre o governo e outros sindicatos sem a participação do Sintet. "A pauta da Educação já é de conhecimento do governo e o Sintet aguarda posicionamento", informou. 

Ainda de acordo com o Sintet, o governo sequer recebeu a diretoria do sindicato para qualquer conversa ou negociação e ainda, explicou que a negociação da data-base aprovada pelos deputados não contou com a participação do Sintet. "Visto que temos uma determinação da categoria em Assembleia que não aceitaria o parcelamento. Contudo, aprovada a lei, mesmo à revelia dos educadores, ela vale para todos os servidores", informou. 

Dia 27 de julho a diretoria do Sintet se reunirá em Palmas para os encaminhamentos da Assembleia Geral que será convocada no início do novo semestre. "O Sintet lamenta profundamente a atitude do governo Marcelo Miranda em ignorar a greve dos profissionais da Educação e não estabelecer um canal firme de negociação com a categoria", posicionou o Sindicato.

Seduc

A Secretaria Estadual da Educação (Seduc), encaminhou nota ao Conexão Tocantins explicando que após intensas negociações com todas as categorias de servidores do Estado, ficou definido o pagamento da data-base, com índice de 8,34%, aos profissionais do Magistério. De acordo com a Secretaria,  ficou definido o parcelamento do supracitado reajuste em duas vezes, com a primeira a ser executada ainda no mês de julho e a segunda, na folha de pagamento de novembro. 

De acordo com a Seduc, qualquer proposta acima comprometeria todo o orçamento da Pasta com a folha de pagamento indo, inclusive, contra a Lei de Responsabilidade Fiscal, além de inviabilizar importantes investimentos para a melhoria da oferta e qualidade de ensino. "A Seduc reitera que a proposta entregue às categorias foi elaborada para contemplar o anseio dos trabalhadores, dentro do contexto de contingenciamento que enfrenta o Tocantins", explicou. (Matéria atualizada às 08h36min de 24/07/15)