Saúde

Foto: Divulgação

O Tocantins já registrou seis notificações de epizootias com a confirmação da circulação do vírus da Febre Amarela em Porto Nacional. Os dados foram repassados ao Conexão Tocantins pela Secretaria Estadual de Saúde nesta segunda-feira, 3. O histórico da doença no Estado mostra que em 2014 houve apenas a confirmação da circulação viral em primata não humano no município de Taguatinga além de seis notificações de epizootias nos municípios de Almas, Dianópolis, Gurupi, Peixe e Taguatinga. 

No total de 2007 a 2014 foram notificados 79 casos em macacos. O período que teve casos em humanos com mortes foi de 1999 a 2000 quando foram 22 casos em humanos com nove óbitos.  A Sesau alertou que o Tocantins é endêmico para doença, caracterizada por um período sazonal de 7 em 7 anos, quando a ocorrência de eventos sentinelas como epizootias (morte de primatas não humanos – macacos) é mais evidente.

As epizootias predominantemente ocorrem entre os meses de outubro a abril, período correspondente com o aumento da densidade de vetores silvestres em função da estação chuvosa. Os eventos de epizootias ocorridos em Dianópolis (2008), Taguatinga(2014) e posteriormente em Porto Nacional (Abril de 2015) vêm confirmar esta característica de sazonalidade, com a confirmação da circulação viral no Estado através do isolamento do vírus em primatas não humanos.

A febre amarela é uma doença febril aguda que apresenta-se em três fases: Leve, moderada e grave. Os sinais clínicos da doença são: febre alta, calafrios, cefaleia, náuseas, vômitos, mialgias intensas e manifestações hepática e renal que podem durar até 12 dias. 

Ações 

Após a confirmação em Porto Nacional a Sesau informa que fez reunião com a equipe técnica do município para articulação das estratégias, tais como: busca ativa de pessoas não vacinadas; alerta à população local e municípios circunvizinhos em um raio de 40 km sobre a importância da realização da imunização contra a febre amarela; ação de busca ativa e eliminação de criadouros de casa a casa; ação de bloqueio nas localidades de ocorrência e circunvizinhas a epizootias para diminuir a população vetorial do Aedes aegypti; Realização de borrifação espacial com UBV pesado (Fumacê) em toda área urbana com intuito de diminuir o índice de infestação predial do município de Porto Nacional a menor ou igual a 1%; A área técnica da imunização estadual disponibilizou doses da vacina de febre amarela para o município conforme a demanda   e a realização de atividades educativas nas escolas e pontos turísticos no município.

A Secretaria de Estado da Saúde, disse ainda que firmou parcerias com a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude (Seelj) e Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), voltadas para ações educacionais na temporada de praia no Tocantins,” Projeto Praia Consciente”.

 Recomendações:

A Sesau repassou algumas recomendações para a população:

- Realizar busca ativa da população não imunizada ou com vacina atrasada e vaciná-las, conforme nota informativa nº 143/14
- Realizar ação de Educação em Saúde;
 Sensibilização dos ACE e ACS quanto à importância da informação oportuna da ocorrência de epizootias as vigilâncias (Municipais e Estaduais);
- Em caso, de ocorrência de epizootias entrar em contato imediatamente com as Secretarias Municipais e Estadual ou pelo telefone 0800 646 3227. (Com informações Ascom Sesau)

Por: Redação

Tags: Febre Amarela, Porto Nacional