Polí­tica

Foto: Divulgação

Os discursos da tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins começaram em tom de denúncia nesta terça-feira, 4. O deputado Wanderlei Barbosa (SD) levantou questionamentos graves com relação à gestão do prefeito Carlos Amastha (PSB) em Palmas. O parlamentar criticou o secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, Adir Gentil. “Achei incrível pagar por seis meses de uso de tendas 3m por 3m e 36 banheiros químicos mais caro que o prédio da prefeitura!”, questionou ao mostrar documentos. Segundo ele, o secretário municipal de Trânsito Transporte e Mobilidade de Palmas, Cristian Zini, fez ofício pedindo para que o secretário Adir autorizasse locação de banheiros e tendas com dispensa de licitação por quase R$ 1 milhão. “Isso aqui é roubo, é ladroagem, se fosse para comprar os banheiros e as tendas não gastariam R$ 200 mil reais! Mas aqui está tanto o ofício do Cristian pedindo quanto do Adir autorizando o serviço”, criticou.

O deputado acusou várias vezes a gestão de superfaturar quase todas as obras. “Quem está atolado até o pescoço é quem está praticando corrupção. Agir na defesa do recurso público é uma obrigação nossa. Não vou me calar! Vou me defender na justiça”, disse. Outra alegação de Wanderlei é que as obras resultantes de convênio da Prefeitura de Palmas com a Odebrecht Saneatins não estão do mesmo tamanho que o recurso investido.

O parlamentar sugeriu que a Câmara de Vereadores de Palmas abra uma CPI para investigar esses recursos da Prefeitura. “Esperamos que esta Casa tenha o compromisso de colaborar com o Ministério Público oferecendo denúncia como vou oferecer essa”, disse, ao informar que vai levar a acusação ao conhecimento do MPE, pedindo o acompanhamento do órgão. Segundo Barbosa, o Portal da Transparência da Prefeitura de Palmas está com o acesso dificultado para a população.

Em seu discurso de mais de dez minutos o parlamentar falou ainda das prioridades da gestão municipal. “Limpa a rua, pinta o meio fio mais de quinze vezes ao ano, planta grama depois deixa morrer desidratada, nenhuma obra foi feita na fonte 00 todas foram fruto de convênio de maneira superfaturada com uso político e abuso de poder de vereadores”, acusou.

Vereador Pit Bull

O parlamentar disse que não vai trabalhar como denuncista, porém repercutiu a citação da desembargadora Angela Prudente para que ele dê explicações sobre acusações que ele fez contra agentes públicos de Palmas. O pedido é em razão do questionamento jurídico do vereador de Palmas, aliado da Prefeitura, Milton Neris (PR), que alegou ofensa e injúria por parte do deputado. “A grande onda de corrupção não sou só eu que estou falando!”, disse o deputado. Barbosa se referiu a Milton Neris como “vereador pitbull”. “É um vereador completamente decadente”, disse.