Polí­tica

Foto: Valério Zelaya

A nova tarifa de ônibus passa a valer nessa terça-feira, 11, dia do estudante. O valor anteriormente cobrado era de R$ 2,50 e passa a ser R$ 2,95. Esse aumento foi aprovado pelo Conselho Municipal de Mobilidade, Acessibilidade e Transporte (CMAMTT) integrado por representantes da sociedade.  

Os usuários do transporte coletivo em Palmas não se mostraram satisfeitos com a nova decisão. As reclamações vão desde problemas com a estrutura dos ônibus ao desrespeito com os passageiros. Para o estudante Rafael Bezerra, 20 anos de idade, o valor pago em tarifas não reverte em melhorias. Ele afirma que não há qualidade na linha alimentadora que utiliza e que o valor anteriormente pago para utilizar o transporte no período de um mês será suficiente apenas para 15 ou 20 dias, portanto, terá que pensar em outra fonte de renda.

“As janelas dos ônibus que pego estão sempre quebradas e não fecham, os transportes estão sempre muito sujos e os motoristas às vezes não param. Isso deveria ser investido ao menos para melhorar a linha. Não vejo qualidade e melhoria na minha linha alimentadora que utilizo hoje”, disse Rafael. 

O vereador professor Júnior Geo (Pros) também se manifestou sobre o assunto. Em tribuna, na semana anterior ao aumento, o vereador questionou o valor mensal que a prefeitura vem repassando de subsídio às empresas de transporte coletivo nos últimos 12 meses, pois não estaria disponível em documentos oficiais. Júnior Geo também questionou a falta de acessibilidade nas linhas alimentadoras.

“Eu quero saber se realmente foi cumprido o que foi prometido por parte do poder público municipal, ou melhor, por parte da empresa que é anunciada, porque a afirmação é de que teríamos 71 novos ônibus e acessibilidade em 100% da frota com o início do subsídio, porém, o que me informaram é que os alimentadores não têm acessibilidade, apenas os ônibus do eixão”, questionou o vereador.