Saúde

Foto: Divulgação

Iniciando as discussões para elaboração do primeiro Protocolo de Acolhimento e Fluxo de Atendimento a população de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros (LGBT), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) realizou reunião entre técnicos da Diretoria de Doenças Transmissíveis e Não Transmissíveis e representantes de movimento lésbico no Tocantins.

O protocolo será direcionado a serviços de saúde e vai conter orientações sobre como profissionais devem oferecer acolhimento e atendimento ao público LGBT, de modo a respeitar a orientação sexual e identidade de gênero. O protocolo também será útil para viabilizar o surgimento de dados regionais sobre esta população. A reunião entre os técnicos aconteceu nesta quarta-feira, 26, na sede da Sesau.

Protocolo

A existência de um protocolo específico auxilia o enfrentamento de alguns problemas na relação entre o paciente e o profissional, entre eles, a dificuldade de assumir a orientação sexual diante de um profissional leigo e o medo de discriminação, segundo explica o técnico da Gerência Estadual de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Alexandre Araripe.

Na reunião foram discutidas especificidades do público LGBT que podem ser incluídas no protocolo que será construído. Foram convidadas para o encontro representantes da Articulação Brasileira de Lésbicas, Coletivo Lesbitoca, Liga Brasileira de Lésbicas e Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Corporalidades, Sexualidade e Direitos da Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Sugestões e contribuições podem ser informadas através do Disque Aids Tocantins no telefone 0800-645-0112, cuja ligação é gratuita.