Polí­cia

A Polícia Civil, em ação conjunta da Delegacia Especializada em Investigações Criminais de Gurupi (Deic Sul), do Grupo de Operações Táticas Especiais (Gote) e da Diretoria de Inteligência (DI), prendeu preventivamente, na manhã desta quinta-feira, 27, cinco acusados de integrarem associação criminosa que forjava documentos para a venda de áreas rurais nos municípios de Arraias e Paranã.

Segundo o diretor do Gote, Rildo Barreira, foram presos preventivamente João Francisco Carvalho, 61 anos, José Bispo dos Santos, 52 anos, Sandro Araújo Torres, 22 anos, Sônia Ramos de Carvalho, 26 anos, e José Valmor Moura de Oliveira, 51 anos. Todos foram presos preventivamente pela acusação de prática de estelionato, falsificação de documentos públicos, falsidade ideológica e uso de documentos falsos.  Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas residências dos acusados, sendo encontradas munições de calibre 20, 22 e 32.

O delegado titular da Deic Sul, Rafael Falcão, explicou como era atuação da associação criminosa. “Eles falsificavam a documentação e vendiam a mesma terra para várias pessoas diferentes. E esse golpe eles, aparentemente, aplicavam no Estado inteiro” afirmou.

João Carvalho, José Bispo, Sandro Araújo e Sônia encontram-se presos na Cadeia Pública de Arraias. Enquanto José Valmor está preso na Cadeia Pública de Peixe. Outro suspeito, Emerson Flores de Oliveira, não foi localizado pela Polícia. A ação, que foi cumprida nos municípios de Arraias e São Valério do Tocantins, teve origem após denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) de Arraias, com o promotor João Neuman Marinho da Nóbrega.  O juiz que autorizou as prisões foi Márcio Ricardo Ferreira Machado.