Palmas

Foto: Divulgação

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB) determinou a suspensão da concessão de férias de todos os servidores do Poder executivo. Um comunicado assinado pelo secretário de Planejamento, Alan Barbiero, trata do assunto e especifica apenas que: “ isso não se aplica às férias suspensas das quais dependem apenas o gozo”, disse.

Conforme o comunicado, às férias podem ser solicitadas apenas a partir de janeiro do próximo ano.

Além da suspensão de férias o Diário Oficial do município de hoje traz a exoneração de vários servidores contratados em pastas distintas como Comunicação, Desenvolvimento Urbano, Fundação Cultural, Secretaria de Transporte e outros  em cargos de assessores, gerentes, diretores e até superintendentes.

Na pasta de Assistência Social foram sete exonerações em cargos comissionados e a maior parte das demissões foi na pasta comandada por Tiago Andrino: Integração Social e Defesa do Consumidor na qual 16 comissionados foram exonerados.

Mais de trinta servidores foram dispensados das funções comissionadas, segundo mostra o Diário.

Na semana passada o prefeito exonerou mais de 300 servidores da área de serviços gerais o que gerou polêmica. Através de post numa rede social ele disse que em razão da crise está tendo que cortar na “carne” para manter o equilíbrio das contas públicas. Por outro lado adversários questionam a destinação dos impostos arrecadados que aumentaram significativamente.