Estado

Foto: Divulgação

A sociedade civil e representantes do poder público municipal, estadual e federal reúnem-se nesta quinta-feira, 3, e sexta-feira, 4, na 4ª Conferência Estadual de Segurança Alimentar, em Palmas. O evento terá início às 8hs, no Auditório do Palácio Araguaia, tendo continuidade, a partir das 13h30, na Universidade Federal do Tocantins (UFT). Nos dois dias de programação será discutida com os participantes, a qualidade da alimentação dos tocantinenses.

A abertura contará com a assinatura do termo de adesão ao Sistema Nacional de Segurança Alimentar (Sisan) das cidades de Campos Lindos e Goiatins. Atualmente apenas Presidente Kennedy faz parte do Sistema no Estado e os municípios de Palmeirópolis, Jaú do Tocantins, Aragominas e São Salvador já solicitaram a adesão junto ao Conselho Nacional de Assistência Social e aguardam avaliação.

O Sisan é intersetorial e envolve a união, os estados e os municípios, seu maior objetivo é fazer as leis, que hoje asseguram o direito humano a uma alimentação adequada, saírem do papel e passarem a fazer parte do dia a dia das pessoas. Segundo a secretária da Setas, Patrícia Amaral, o governo tem trabalhado pelo fortalecimento do Sisan no Estado e para tanto busca o apoio federal, articula suas secretarias e apóia os municípios para assumirem sua parte no processo: “Com a implantação do Sistema os municípios ganham força política, diferencial ao concorrer em editais para buscar recursos financeiros e sobretudo passam a trabalhar com planejamento”. Declara Patrícia. A gestora também pontua as vantagens do Sistema para a sociedade: “Com esse planejamento, medidas são tomadas para garantir a produção e distribuição de alimentos de qualidade, idosos, gestantes e pessoas com deficiência podem ser atendida com oferta de alimentos, entre outros benefícios”. Disse.

A 4ª Conferência de Segurança Alimentar tem como lema ‘Comida de Verdade no Campo e na Cidade: Por Direitos e Soberania Alimentar’, proposta que norteou os debates nas 94 conferências municipais realizadas no Estado. Essas proposições levantadas na etapa municipal serão expostas e debatidas pelos 334 delegados eleitos e ao final do evento comporão um documento tocantinense para ser apresentado na 5ª Conferencia Nacional.