Cultura

Foto: Divulgação

O muro que antes era branco agora tem mensagens de protesto: “desperta”, “preconceito gera lágrimas”, mas também lembra que a “a amizade vence o preconceito”. Esse é o trabalho que está sendo realizado no Setor Vila Nova, em Gurupi, por um grupo de voluntários que decidiu utilizar a arte do grafite como uma ferramenta para discutir questões sociais, como o preconceito e a violência contra a mulher.

O muro de aproximadamente 50 metros foi cedido pela escola municipal do bairro e, ao longo de vários meses, os desenhos tomaram forma e ganharam cores fortes e vibrantes. O trabalho é coordenado pelo artista plástico Henrique Viegas. “Começamos como um projeto vinculado à escola, mas depois continuamos por conta própria. Todo o material é doado e estamos fazendo o grafite porque entendemos que a arte é educativa e precisa ser acessível a todas as pessoas”, afirma Viegas.

Segundo Viegas, a temática do grafite foi escolhida devido ao crescente número de registros de violência contra a mulher. “Esse é um assunto importante, não podemos conviver com atos violentos nos lares e nas cidades. Esse grafite busca alertar as pessoas para a gravidade do problema, ao mesmo tempo em que traz uma mensagem de que a paz e o amor entre as pessoas é possível”.

Os desenhos estão sendo feitos com a colaboração de moradores do bairro. “Não há um grupo fechado, quem passa pelo local e quer participar é bem-vindo. Já tivemos crianças, adolescentes, adultos e idosos aqui”, explica o coordenador.

O grupo de voluntários reúne-se aos sábados, a partir das 16h, na Escola Municipal do Setor Vila Nova.

Por: Redação

Tags: Gurupi, Henrique Viegas