Estado

Foto: Divulgação

O governador Marcelo Miranda esteve na manhã desta quarta-feira, 9, com o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, para apresentar o projeto da nova ponte de Porto Nacional. A obra está estimada em R$ 150 milhões e o Governo do Estado trabalha para que o projeto seja incluído na teceria fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 3). Gilberto Occhi garantiu ao governador o apoio necessário para que a obra seja viabilizada.

“Vejo uma grande disposição do ministro em nos ajudar nesse processo. As coisas vão começar a caminhar agora. Mesmo com todas as dificuldades, hoje a ponte é prioridade. É uma obra de fundamental importância, principalmente, pelo que está se desenvolvendo a região de Porto Nacional. Isso vai nos ajudar a viabilizar rapidamente a realização desse projeto”, garantiu o governador.

Cerca de 10% do valor da obra, R milhões, estão garantidos por meio de emenda parlamentar já aprovada. Agora, o Governo busca o apoio dos parlamentares da bancada federal e do ministro Gilberto Occhi para defender o projeto e sua relevância para a região junto ao Ministério do Planejamento, de forma que todos o recursos necessários sejam disponibilizados por meio do PAC 3.

Água Para Todos

Acompanhado do presidente da Agência Tocantinense de Saneamento (ATS), Eder Fernandes, o governador também apresentou ao ministro um panorama da execução do programa Água Para Todos, financiado pelo Ministério da Integração Nacional. Em março deste ano, o governador pediu ao ministério um prazo para regularizar os graves problemas na gestão do programa deixados pelo governo anterior.

 Atualmente, das 11.050 cisternas, já foram autorizadas a entrega de 9.340. Além disso, cerca de 7 mil já estão nas casas dos contemplados e destas, aproximadamente, 4 mil estão instaladas. Dos 434 cadastrados apontados como irregulares pelo Tribunal de Contas da União (TCU), apenas 39 já tinham sido contemplados. Após investigação da ATS constatou-se que cerca de 20 cisternas devem ser efetivamente devolvidas e as demais foram questionadas devido a erros no cadastro, que estão sendo ajustados conforme as normas do TCU.