Meio Ambiente

Foto: Divulgação

Os meses de junho a setembro são os recordistas de queimadas e focos de incêndio no Brasil. Fatores como a estiagem prolongada, a baixa umidade e o calor contribuem para esse aumento. Diante desse cenário, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) fez um levantamento sobre as regiões mais afetadas e elaborou algumas boas práticas para a prevenção de incêndios.

Com 6.527 mil focos de queimadas o Tocantins é o segundo da região norte com o maior número ficando atrás apenas do Pará com 11.199 mil focos. Á nível nacional o Estado é o quarto com o maior número de queimadas. O número 1  dos estados neste ranking negativo é o Estado do Mato Grosso com 13.191  mil focos, seguido pelo Pará e em terceiro vem o Maranhão com 9.459 mil.

A CNM explica que os focos de incêndios podem ser ocasionados por meio de fatores da natureza, como raios solares, dependendo do calor, concentração de raios em pedaços de vidros, em decorrência da imprudência do ser humano. Atear fogo sem necessidade em uma propriedade vizinha, as fagulhas das locomotivas, os fornos de carvões e lenha, são outros fatores causadores dos incêndios florestais.

Outro fator a ser considerado são as queimadas para pasto e agricultura de subsistência, que sem o devido controle e orientações, podem contribuir para o aumento de incêndios em matas que podem desencadear para maiores proporções.

No Brasil, existem regiões que os riscos são mais propensos do que nas demais regiões em decorrência das épocas sazonais caraterizadas como estiagem em que ficam meses sem chover. A exemplo da região Centro-Oeste, nos Estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Na região Norte, são as atividades de queimadas sem controle em razão da agricultura de subsistência e de pasto, que aumentam os riscos de incêndios florestais. Em geral, este o cenário não mudou nos últimos cinco anos, e as queimadas estão em maior número nestas regiões.

As regiões Norte e o Centro-Oeste foram as mais afetadas por queimadas nos últimos cinco anos. Em primeiro o Norte com 172.614 focos; somente em 2015 foram 30.914 ocorrências. Em segundo lugar vem o Centro-Oeste com 124.510 focos e 19.017 ocorrências em 2015.

Números de queimadas no país

Segundo monitoramento de queimadas realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Sistema Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (PrevFogo) – coordenado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) -, no Brasil, de janeiro a setembro de 2015, a soma de queimadas em todo o País chegou a 76.192 focos. Porém, em 2010 o recorde de focos foi de 115.175.