Polí­tica

Foto: Divulgação

A crise na Educação em Palmas/TO foi um dos motivos das críticas feitas pelo deputado estadual Wanderlei Barbosa (PSB) na tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins na sessão desta terça-feira, 15, na capital. “Vimos a substituição de professores qualificados por cuidadores, sem nenhuma qualificação pedagógica para ajudar na educação dos nossos filhos”, disse. Segundo ele o prefeito está com a imagem perdida pela grande carga tributária e suspeitas de irregularidade na gestão. “Aqui os secretários de Florianópolis vivem às custas do IPTU caro que pagamos, é dessa maneira que vivemos. Licitação é dispensada sem nenhum trauma”, criticou o deputado.

O parlamentar comentou ainda as palavras de baixo calão proferidas pelo prefeito na rede social para os adversários. “Adversários do Amastha não são poucos...o culpado da grama pegar fogo é ele mesmo, a grama de Palmas é desidratada por falta de água. Ele é um grande marqueteiro, já vi ele chamando empresário de idiota, adversário de filho da puta e vereadores de safados. Não pegou pra mim esse xingamento dele”, disse.

Conforme o parlamentar, a resposta para o gestor vem através de vaias quando ele vai em locais públicos. “Ele xinga  na rede social e o povo vaia ele no Ginásio de Esportes. O Amastha é aquele que pensa com a língua. É um péssimo marqueteiro. Com o aumento da arrecadação dava para manter bem a cidade funcionando”, criticou.

Segundo o parlamentar a cidade está suja por causa da demissão dos servidores. “Sujeira é fruto da demissão de quase 400 profissionais da limpeza. Se ele demitiu os funcionários, ele tem que falar que a cidade está suja por causa disso”, disse. Segundo Wanderlei o prefeito mandou uma cesta básica para cada servidor demitido e muitos deles devolveram. Wanderlei questionou ainda a contratação do Instituto Áquila para fazer orientação de gestão de pessoal por cerca de R$ 10 milhões.

Ayres defende

O deputado Ricardo Ayres foi na tribuna rebater e tentar responder ponto a ponto das acusações de Wanderlei. “Os índices de aprovação do prefeito continuam estratosféricos com relação ao trabalho dele”, disse ao comentar as vaias que Amastha tem sido alvo em várias ocasiões.  Sobre as palavras de baixo calão por parte do prefeito para os adversários o parlamentar disse que as redes sociais levam a manifestações de forma mais efervescente. “Não se pode apontar mas tem uma semelhança muito grande com o clima de sucessão municipal”, disse.