Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD) está na mira novamente dos vereadores da base do prefeito Carlos Amastha (PSB) e foi na tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins critica-los e fazer acusações contra a atual gestão. Os vereadores da base do prefeito Amastha afirmaram que o fato de Wanderlei assumir a pré-candidatura à Prefeitura de Palmas demonstra que as acusações dele são apenas de cunho político.

O parlamentar  rebateu. “Meu trabalho tem motivação política... eu vou continuar antes e depois da eleição fiscalizando e denunciando um prefeito que veio não para formar uma gestão, mas para formar uma quadrilha... aqui nós temos uma quadrilha organizada para terceirizar serviços e montar esquema de lavagem de recursos”, acusou. 

Com relação à Câmara de Palmas, ele disse que os vereadores se calam diante dos projetos impopulares e dos problemas da capital. “Os vereadores votam para desqualificar a educação tirando professores da sala de aula e colocando monitores”, disse, ao relembrar o projeto Salas Integradas aprovado às pressas pelos parlamentares e sem discussão com a categoria.

O relacionamento servil dos vereadores da Câmara de Palmas ao prefeito também foi criticado. “Os que o prefeito chamou de safados são os mesmos que chamavam o prefeito de traficante no passado, hoje santificaram, a Câmara é um altar de anjos que derrotam a educação, que não permitem que ambulantes trabalhem nos Jogos Indígenas. Eles precisam olhar para a população que os elegeu”, alfinetou Wanderlei.

O deputado citou os vereadores Lúcio Campelo (PR), Junior Geo (Pros) e Joaquim Maia (PV) que segundo eles são os únicos que questionam a gestão do prefeito. “Os vereadores não deveriam se calar com relação aos absurdos praticados contra a Educação, contra os moradores de Palmas que pagam um dos tributos mais caros do País”, disse.

Sobre sua pretensão de ser candidato a prefeito ele afirmou que a intenção principal é juntar todos os políticos que são contra a atual gestão. “Eu não preciso ser candidato a prefeito, se for minha hora serei, mas vou trabalhar muito pela união dos que se opõem à quadrilha que se instalou na prefeitura”, finalizou. (Atualizada às 20 horas)