Polí­tica

Foto: Divulgação

A ministra da Agricultura e Pecuária, senadora do Tocantins Katia Abreu (PMDB) comentou sobre a reforma administrativa que o governo federal fará na estrutura. "Governo corta passagens, diárias, excessos de carros, contas telefônicas, controle de energia dos prédios públicos, cortes de contratos em geral. Proíbe novos concursos, novas licitações de prédios públicos. O Estado não pode ser esnobe. Este será um esforço de todos. Mudar paradigmas”, afirmou ao comentar as medidas anunciadas pela presidente Dilma.

Segundo Katia Abreu, o Estado tem que ser simples como as pessoas. “O Mapa (Ministério da Agricultura e Pecuária) fez nos primeiros 100 dias de 2015 economia de 70 milhões de reais c/gastos de custeio. Continuamos a combater desperdícios de recursos públicos não por demagogia mas por uma questão de ética e espírito público”, afirmou.

O Governo Federal fará cortes de ministérios e na estrutura dos que permanecerão. “A atividade meio não pode ser maior que atividade fim. A máquina pública não pode ser maior que o Brasil. Vamos vencer este desafio. O governo ainda apresentará nos próximos dias cortes de ministérios e cortes na estrutura dos que permanecerão. Unirá estruturas sobrepostas. Haverá devolução de prédios alugados e otimização de espaços. Menos gastos de energia”, disse.

Uma das maiores críticas da oposição é que a presidente Dilma Rousseff não estaria fazendo os cortes no governo, porém, Katia garante que isso acontecerá. “Governo fará cortes nos cargos comissionados. A Presidente está empenhada pessoalmente nesta tarefa de enxugar a máquina. Vamos economizar com a máquina p/gastar c/as pessoas”, garantiu.

As declarações da ministra foram feitas através de uma rede social. Katia é cotada para assumir a Casa Civil, porém, não há nenhuma informação oficial sobre o assunto.