Saúde

Buscando minimizar os efeitos da baixa umidade relativa do ar e do calor excessivo percebidos na Capital e nos demais municípios tocantinenses, a Defesa Civil Estadual orienta a população a realizar ações que visem evitar doenças, mal-estar e desidratação.

De acordo com os dados coletados pela equipe técnica da Sala de Situação nesta quarta-feira, 23, a umidade relativa do ar no Tocantins apontaram um percentual de 22% no município de Mateiros, no Jalapão, 27% na Capital e 54% no município de Dianópolis, na região Sudeste do Tocantins. Segundo as orientações da Defesa Civil, com os índices percebidos de 30 a 20%, o Estado se encontra no Nível de Atenção. De 20 a 12%, Nível de Alerta e abaixo de 12%, Nível de Emergência.

Segundo o diretor Executivo da Defesa Civil Estadual, capitão bombeiro Diógenes Madeira, em todos os níveis referentes à baixa umidade, a população precisa estar alerta e evitar a exposição excessiva ao sol. “Vivemos numa região bastante quente e com grande incidência dos raios solares. Então é necessário a utilização de protetor solar, evitar atividades físicas ao ar livre entre 11 e 15 horas, usar roupas leves e ingerir bastante líquido", orientou

Recomendações

A Defesa Civil Estadual informa que o tempo seco aumenta o risco de incêndios florestais. Com isso recomenda-se à população, não fazer fogueiras e também não jogar pontas de cigarros para fora dos veículos. Além disso, os motoristas que trafegarem por regiões sujeitas a incêndios deverão ter atenção redobrada devido à visibilidade reduzida pela fumaça. Para a população em geral, não colocar fogo em folhas ou galhos secos e principalmente nos terrenos baldios.

Por: Redação

Tags: Defesa Civil, Diógenes Madeira