Saúde

Foto: Divulgação

Os médicos residentes do Tocantins participam amanhã, quinta-feira, 24/9, da Paralisação Nacional dos Médicos Residentes por um dia a partir das 7 horas em frente ao Pronto Socorro do Hospital Geral de Palmas (HGP) em Palmas.

A concentração dos residentes vai até às 11 horas com panfletagem e faixas com as pautas e objetivos da paralisação que reivindica melhores condições referentes à qualidade do ensino da medicina.

O vice-presidente da Associação dos Médicos Residentes no Tocantins, Ridelsom Alves da Costa de Miranda explicou ao Conexão Tocantins que atualmente são 80 médicos em Palmas e 20 em Araguaína e Gurupi. “Estamos solicitando melhorias que vão causar impacto desde a qualidade na assistência a saúde como também na questão do ensino pelo próprio programa de residência”, disse.

Ele falou sobre corte no orçamentário da saúde. “Com esses cortes gerou dois grandes problemas o primeiro é a falta de assistência adequada a população e o segundo é a questão do déficit no ensino e isso é ruim para a população porque os médicos estão se formando mal”, afirmou. Segundo ele, a estrutura tanto dos hospitais como das universidades é deficitária.

Questionado sobre o trabalho dos residentes no Hospital ele disse que faltam médicos para acompanhar os residentes no exercício da medicina.