Campo

Foto: Divulgação

O projeto Agronegócio Competitivo, lançado em 2013 pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), e executado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), teve sua terceira etapa apresentada nesta segunda-feira, 28, em um workshop realizado por técnicos do banco e da empresa Macrologística, com a participação de representantes do setor agro econômico do Tocantins. O projeto tem o objetivo de contribuir para que o Tocantins se transforme em um Estado preparado para exportar seus produtos agropecuários e se torne mais competitivo no cenário internacional. No Tocantins o projeto é coordenado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (FAET). O workshop, que tem o objetivo de discutir as propostas de investimento que farão parte do plano de ação do projeto, se estende até amanhã, terça-feira, 29, no auditório do Sistema Faet/Senar, em Palmas.

Durante as etapas anteriores do projeto foram definidas quatro cadeias agrícolas que serão trabalhadas no Tocantins: Abacaxi; Carne: Aves, Ovinos e Peixes; Leite e Silvicultura. A partir deste levantamento foram identificados os investimentos que serão executados para a melhoria das vantagens competitivas do agronegócio. “Neste estudo também foram identificados, os principais gargalos enfrentados pelos produtores rurais que trabalham com essas cadeias, e que implicam, diretamente, nas dificuldades para o crescimento e a exportação de seus produtos”, explicou o especialista em Integração e Comércio do BID, Guilherme Piereck.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins (FAET) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Tocantins (Senar/TO), Paulo Carneiro, destacou que este projeto tem o objetivo de tornar o agronegócio do Tocantins mais competitivo, através de ações que vão, desde o fortalecimento das estratégias de diversificação da produção, da pauta de exportação do agronegócio, do diagnóstico da infraestrutura logística existente até a organização de seminários de capacitação dos setores produtivos envolvidos.

No workshop estão sendo abordadas as ações para o fortalecimento do cooperativismo e associativismo; facilitação dos procedimentos de licenciamento ambiental e do acesso à tecnologia de produção e ao crédito; criação de estrutura de industrialização do abacaxi; capacitação da mão de obra e da gestão rural e de processos de exportação; atração de investimentos; promoção de exportações; integração logística entre os polos de produção e os corredores de exportação.

Participaram do primeiro dia do encontro o superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento noTocantins (CONAB/TO), Jalbas Manduca; do superintendente da Faet, Frederico Sodré; representantes daEmpresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); da Superintendência Federal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; secretarias de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Econômico; da Federação da Indústria do Estado do Tocantins (Fieto) e de diretores da Macrologística, empresa responsável pela realização dos estudos e desenvolvimento do projeto Agronegócio Competitivo